14:55 25 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    4523
    Nos siga no

    Dmitry Peskov, porta-voz do presidente Vladimir Putin, respondeu ao chanceler alemão Heiko Maas, que reiterou o posicionamento da cúpula em não aceitar Moscou até a crise ucraniana ser resolvida.

    O presidente russo Vladimir Putin não apresentou quaisquer iniciativas relacionadas à adesão ao G7, e o país não pretende ser membro do grupo, disse na segunda-feira (27) o porta-voz do presidente da Rússia, Dmitry Peskov, comentando a nova declaração de Heiko Maas, ministro alemão das Relações Exteriores, contra a reincorporação da Rússia no grupo.

    "O presidente Putin nunca apresentou nenhuma iniciativa, nenhum discurso ou tomou qualquer outra medida para retomar a participação da Rússia no trabalho do G7", disse Peskov a jornalistas.

    "A Rússia não procura aderir ao G7, além disso, temos dito repetidamente que estamos altamente satisfeitos com a eficiência do formato do G20, que, atende melhor à realidade econômica moderna, levando em consideração os centros globais do desenvolvimento econômico", explicou.

    O porta-voz de Vladimir Putin expressou a crença de que o G7, composto por Canadá, França, Alemanha, Itália, Japão, Reino Unido e EUA, poderia discutir questões econômicas, mas dificilmente poderia aspirar à liderança global.

    Dmitry Medvedev, o presidente adjunto do Conselho da Federação da Rússia, e ex-presidente do país, também desvalorizou a cúpula.

    "O valor do G7 hoje em dia é altamente questionável contra o pano de fundo do G20 e outros formatos internacionais", escreveu Medvedev na rede social VK. "A Rússia não precisa retornar a formatos desatualizados para discutir questões internacionais."

    História da cúpula

    Anteriormente, Trump afirmou que os EUA adiaram a reunião do G7, originalmente prevista para junho, até setembro, e revelou querer convidar os líderes da Rússia, Índia, Austrália e Coreia do Sul para refrescar "este grupo de países muito ultrapassado". O presidente dos EUA disse não sentir que o G7 "representa adequadamente o que está acontecendo no mundo".

    A Rússia se juntou ao G7 em 1998, que assim se tornou o G8 até 2014, quando outros países-membros se reuniram em Bruxelas em vez de Sochi devido a desacordos com Moscou sobre a crise ucraniana e a reunificação da Crimeia.

    Mais:

    'Trump quer recompensar Kremlin', diz senador dos EUA em resolução contra inclusão russa no G7
    Por que Trump quereria Rússia de volta no G7?
    Convidar Putin para cúpula do G7 é de 'senso comum', afirma Trump
    Trump diz que G7 está 'desatualizado' e defende participação da Rússia e outros 3 países
    Tags:
    Ucrânia, EUA, Donald Trump, Dmitry Medvedev, Heiko Maas, Vladimir Putin, Dmitry Peskov, G20, G8, G7, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar