15:12 12 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Ex-presidente da União Soviética, Mikhail Gorbachev

    Ex-líder da URSS, Gorbachev alerta o mundo para o perigo 'colossal' de armas nucleares

    © AP Photo / dpa, Jens Kalaene
    Rússia
    URL curta
    9187
    Nos siga no

    O ex-líder soviético Mikhail Gorbachev afirmou que o mundo está em perigo "colossal" devido a armas nucleares mantidas por potências globais em meio a tensões contínuas desde o final da Guerra Fria.

    O último chefe da União Soviética ganhou o Prêmio Nobel da Paz de 1990 por negociar com Ronald Reagan um tratado histórico de redução de armas nucleares do qual o atual presidente dos EUA, Donald Trump, se retirou neste ano.

    A decisão de Gorbachev de não enviar o Exército soviético para a Alemanha Oriental quando o Muro de Berlim caiu 30 anos atrás foi vista como crucial para preservar a paz durante a Guerra Fria. Mas ele continua sendo uma figura de ódio para muitos russos por permitir o colapso do império soviético.

    Aos 88 anos, ele disse à rede britânica BBC em Moscou que o mundo não está seguro, apesar dos esforços anteriores de limitação de armas.

    Secretário Geral do PC da URSS, MIkhail Gorbachev, e presidente dos EUA, Ronald Reagan, assinam Tratado INF, em dezembro de 1987
    © Sputnik / Yuri Abramochin
    Secretário Geral do PC da URSS, MIkhail Gorbachev, e presidente dos EUA, Ronald Reagan, assinam Tratado INF, em dezembro de 1987
    "Embora existam armas de destruição em massa, e especialmente nucleares, é [um] perigo colossal", declarou em entrevista que foi ao ar nesta segunda-feira. "Todas as pessoas precisam declarar claramente - todas as pessoas - que as armas nucleares devem ser destruídas. Dessa forma, estaremos salvando a nós mesmos e ao planeta".

    Gorbachev comentou que a rivalidade do século 20 entre Moscou e Washington foi substituída por novos desafios que colocam o mundo em estado de guerra permanente.

    "É tranquilo, mas é uma guerra", pontuou, rindo. "A atmosfera está toda errada".

    Gorbachev se tornou um crítico do presidente russo Vladimir Putin e de sua abordagem de braço forte à política doméstica e aos assuntos internacionais.

    Mais:

    Tchecos e eslovacos devem agradecer Gorbachev pelo fim da URSS, diz Zeman
    Parlamento russo se nega a culpar os 'antinacionais' Gorbachev e Yeltsin pelo fim da URSS
    Gorbachev critica Putin e Trump e pede negociações antes que seja 'tarde demais'
    Tags:
    Brexit, defesa, segurança, Guerra Fria, diplomacia, Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares, armas nucleares, corrida armamentista, Vladimir Putin, Donald Trump, Ronald Reagan, Mikhail Gorbachev, Alemanha Oriental, Muro de Berlim, União Soviética, URSS, Rússia, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar