14:40 20 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    A petrolifera estatal venezuelana PDVSA aumenta significativamente as suas transações em euros durante o ano de 2019

    Petrolífera estatal venezuelana abre escritório em Moscou

    © AFP 2019 / Juan Barreto
    Rússia
    URL curta
    5162
    Nos siga no

    A companhia estatal Petróleos de Venezuela (PDVSA) abriu seu escritório na capital da Rússia, Moscou, informa repórter da Sputnik.

    A placa de identificação da PDVSA apareceu entre as duas de outras empresas em um edifício na rua Arbat, no centro de Moscou.

    A Sputnik confirma que a companhia petrolífera estatal da Venezuela PDVSA abriu finalmente seu escritório em Moscou depois de meses de negociações. Nosso repórter visitou o local do escritório e testemunhou que a placa de identificação corporativa dizendo "PDVSA" está na lista das empresas no edifício

    O escritório europeu da PDVSA, a maior petroleira da Venezuela, confirmou o início do trabalho na capital russa.

    "A representação já funciona [...] Foi inscrita nos registros públicos", disse à Sputnik o responsável da PDVSA Rússia, Andrei Grishaev.

    Segundo os dados do Registro Estatal Unificado de Pessoas Jurídicas da Rússia, a sociedade de responsabilidade limitada PDVSA Rússia foi registrada no dia 6 de agosto como empresa que oferece consultoria em comércio, gestão e serviços no âmbito do petróleo e gás.

    Escritório europeu da PDVSA

    Em março passado, a vice-presidente executiva da Venezuela, Delcy Rodríguez, anunciou a transferência do escritório europeu da PDVSA de Lisboa a Moscou, alegando, entre outras razões, que Europa não pode garantir a integridade dos ativos da Venezuela.

    Mais:

    PDVSA reduz sua dívida à petroleira russa Rosneft
    China renuncia ao petróleo venezuelano em meio às sanções dos EUA, segundo mídia
    Venezuela chama de sabotagem explosão em posto de gás no país (VÍDEO, FOTOS)
    Tags:
    petroleira, Moscou, Rússia, Venezuela, PDVSA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar