10:34 18 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Manifestação em Moscou, 10 de agosto de 2019

    Rússia exige que Google impeça propaganda de protestos não autorizados no YouTube

    © Sputnik / Ramil Sitdikov
    Rússia
    URL curta
    11101
    Nos siga no

    O Serviço Federal de Supervisão de Comunicações, Tecnologia da Informação e Mídia da Rússia (Roskomnadzor) informou neste domingo (11) que enviou uma carta ao Google pedindo que a empresa impeça que o YouTube divulgue vídeos de convocação de protestos não autorizados pelas autoridades.

    "De acordo com os dados disponíveis, algumas estruturas com canais do YouTube pagam este aplicativo pelo uso de ferramentas de publicidade [mensagens push] para disseminar informações sobre atos em massa não autorizados com o objetivo de prejudicar as eleições", diz o comunicado da agência russa.

    Ação de protesto em Moscou
    © Sputnik / Sergei Mamontov
    Ação de protesto em Moscou, 3 de agosto de 2019
    De acordo com o Roskomnadzor, tais notificações push também são recebidas por usuários do YouTube que não são assinantes dos canais do YouTube das estruturas mencionadas.

    "Se o Google não reagir, a Federação Russa considerará isso como uma interferência nos assuntos soberanos do país, assim como uma pressão hostil sobre as eleições democráticas na Rússia, e tem direito a uma reação adequada", acrescentou o órgão.

    A Rússia passa por uma onda de protestos que estão sendo realizados desde meados do mês de julho na capital russa. Os atos foram convocados por políticos da oposição, a quem foi negado o registro nas eleições para a câmara legislativa de Moscou, agendada para o dia 8 de setembro.

    Mais:

    Cerca de 600 pessoas são detidas em manifestação não autorizada em Moscou
    Mais de 130 pessoas foram detidas depois da manifestação no centro de Moscou
    Manifestantes saem à rua em Moscou em ação não autorizada (VÍDEO)
    Tags:
    Youtube, Google, Moscou, Rússia, protesto
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar