11:09 22 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    O embaixador da Rússia nos EUA, à época ministro da Defesa da Rússia, Anatoly Antonov, fala em um briefing no Ministério da Defesa em Moscou (foto de arquivo)

    Embaixada russa comenta novas sanções: EUA assumiram função de árbitro mundial

    Rússia
    URL curta
    9221

    O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou novas sanções contra a Rússia impostas através do Decreto de Eliminação de Armas e Combate às Armas Químicas e Biológicas, de 1991.

    Ao comentar as sanções, a embaixada russa nos Estados Unidos divulgou um comunicado afirmando que Washington assumiu o papel de árbitro supremo e esqueceu a presunção de inocência.

    O motivo alegado pelos EUA foi o suposto envenenamento, em 2018, de Sergei e Yulia Skripal no Reino Unido. A 1ª rodada de sanções relacionadas ao caso Skripal entrou em vigor em 27 de agosto de 2018. Os EUA afirmaram que a Rússia violou as normas estipuladas pela legislação internacional.

    "Não fomos apresentados a nenhuma evidência do envolvimento russo no incidente de Salisbury, e o lado britânico ainda se recusa a cooperar com a Rússia na investigação do incidente. Em vez disso, Washington decidiu se apropriar das funções de policial e árbitro supremo, que tem o direito de nomear culpados e aplicar represálias", disse a missão diplomática russa em comunicado.

    De acordo com a embaixada, "os Estados Unidos mais uma vez mostraram ao mundo uma desconsideração por princípios fundamentais do estado de direito como a presunção de inocência e a necessidade de arcar com o ônus da prova", acrescenta a nota.

    A Rússia negou diversas vezes o envolvimento no ataque e enfatizou que lhe foi negado o acesso a qualquer prova, além da recusa por uma investigação conjunta sobre o incidente, conforme exigido pelo direito internacional, bem como o acesso negado aos Skripals.

    Mais:

    Mídia: EUA testarão mísseis desconformes com INF para conter Rússia na Europa em breve
    Trump: EUA e Rússia celebrarão acordo nuclear em algum momento
    Chancelaria russa qualifica como 'erro grave' saída dos EUA do Tratado INF
    Tags:
    EUA, sanções, Rússia, Sergei Skripal
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar