06:02 11 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Caça-minas Kovrovets (à esquerda) e Ivan Golubets durante o Dia da Marinha da Rússia em Sevastopol, Crimeia

    Consequências serão duras em caso de quaisquer provocações, assegura deputado da Crimeia

    © Sputnik / Aleksei Malgavko
    Rússia
    URL curta
    Violação da fronteira russa por navios ucranianos (53)
    9271

    Depois de aprovar a lei marcial na Ucrânia, é possível que as autoridades do país levem a cabo novas provocações em relação à Crimeia e Donbass, opina o deputado russo eleito pela península Andrei Kozenko. Não obstante, ele afirmou que nada ameaça a segurança dos cidadãos.

    "Sem dúvida, há receio de provocações tanto relativamente à Crimeia, como a Donbass. No entanto, nada ameaça a segurança dos residentes da Crimeia, nisso podem estar todos absolutamente seguros. Qualquer atentado contra a fronteira nacional [russa] terá consequências duras para os provocadores", declarou o parlamentar.

    Ao mesmo tempo, ele destacou que as autoproclamadas Repúblicas Populares de Donetsk e Lugansk, onde hoje Kiev  tenta igualmente provocar ações militares em resposta, também "são capazes de proteger seus cidadãos".

    Nas palavras dele, todas as medidas necessárias para garantir a segurança de Donetsk e Lugansk serão tomadas nessas regiões:

    "Todas as forças estão em alta prontidão de combate. Hoje é vital pôr fim a tais provocações de modo a não permitir a possibilidade de um conflito militar em grande escala, tão desejado pelos curadores da Ucrânia", concluiu.

    Ontem (26), o presidente ucraniano Pyotr Poroshenko aprovou a proposta do Conselho de Segurança e Defesa Nacional para introdução da lei marcial no país depois do incidente no estreito de Kerch. Mais tarde, a lei marcial foi aprovada pelo parlamento ucraniano. A lei abrange diferentes partes do país e estará em vigor durante 30 dias. Mais cedo, foi anunciado que a Ucrânia tinha posto seu exército em alerta para o combate.

    A decisão foi tomada após o incidente com três navios ucranianos no estreito de Kerch.

    Incidente no estreito de Kerch

    Em 25 de novembro, três navios da Marinha ucraniana, Berdyansk, Nikopol e Yany Kapu, violando os artigos 19 e 21 da Convenção da ONU sobre direito marítimo, atravessaram a fronteira da Rússia e realizaram manobras perigosas durante várias horas sem reagir às exigências das embarcações russas que os acompanhavam.

    Foi tomada a decisão de usar armas. Todos os navios ucranianos foram detidos aproximadamente a 20 km da costa russa e a 50 km do local habitual de passagem dos navios no estreito de Kerch por baixo da Ponte da Crimeia.

    Durante o incidente, três militares ucranianos ficaram levemente feridos. Eles receberam assistência médica e não correm risco de vida. A Rússia abriu um processo criminal por violação da fronteira.

    Tema:
    Violação da fronteira russa por navios ucranianos (53)

    Mais:

    EUA pedem que Putin e Poroshenko resolvam diretamente tensões entre Rússia e Ucrânia
    Introdução da lei marcial na Ucrânia não faz sentido, afirma especialista militar russo
    Estados Unidos 'desenham' cenário de confronto para Ucrânia, diz senador russo
    Ucrânia põe Forças Armadas em alerta de combate após incidente em estreito de Kerch
    Tags:
    agressão, provocação, conflito armado, ameaça, segurança, Crimeia, Donbass, Ucrânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik