FSB: navios ucranianos invadiram águas que sempre foram russas

© REUTERS / Pavel RebrovVeículos anfíbios em formação junto ao navio pesado de desembarque César Kunikov durante as comemorações do Dia da Marinha em Sevastopol, Crimeia
Veículos anfíbios em formação junto ao navio pesado de desembarque César Kunikov durante as comemorações do Dia da Marinha em Sevastopol, Crimeia - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Os navios da Marinha ucraniana invadiram, no último domingo, sob ordens diretas de Kiev, águas que sempre pertenceram à Rússia, mesmo antes da reintegração da Crimeia, afirmou o Serviço Federal de Segurança da Rússia (FSB) nesta segunda-feira.

Segundo o FSB, as embarcações estrangeiras ignoraram os avisos para parar e chegaram a apontar suas armas para as forças russas, provocando uma resposta com tiros de aviso por parte destas.

Na segunda-feira (26), o Conselho de Segurança da ONU rechaçou a agenda da Rússia sobre o incidente no estreito de Kerch.

Sessão do Conselho de Segurança da ONU - Sputnik Brasil
Conselho de Segurança da ONU rechaça agenda da Rússia sobre incidente no estreito de Kerch
Na manhã da segunda-feira informaram que as Forças Armadas e Serviço de Segurança da Ucrânia foram postos em alerta para o combate. Mais tarde virou público que o presidente ucraniano Pyotr Poroshenko aprovou a proposta do Conselho de Segurança e Defesa Nacional para introdução da lei marcial no país. A lei marcial entra em vigor no território ucraniano a partir de 26 de novembro, terminando no dia 25 de janeiro de 2019, de acordo com o decreto. Ainda é necessária sua aprovação pela Suprema Rada (parlamento ucraniano).

A decisão foi tomada após o incidente com três navios ucranianos no estreito de Kerch.

Em 25 de novembro três navios da Marinha ucraniana, Berdyansk, Nikopol e Yany Kapu, violando os artigos 19 e 21 da Convenção da ONU sobre direito marítimo, atravessaram a fronteira da Rússia. Os navios entraram na zona aquática temporariamente encerrada e realizaram manobras perigosas durante várias horas sem reagir às exigências das embarcações russas que acompanhavam os navios ucranianos.

Presidente ucraniano Pyotr Poroshenko - Sputnik Brasil
Ucrânia exige que Rússia devolva navios detidos e pede ajuda militar a aliados
Foi tomada a decisão de usar armas. Os navios ucranianos foram detidos aproximadamente a 20 km da costa russa e a 50 km do local habitual de passagem dos navios no estreito de Kerch por baixo da Ponte da Crimeia. Durante o incidente, três militares ucranianos ficaram levemente feridos. Eles receberam assistência médica e não correm risco de vida.

A Rússia abriu um processo criminal por violação da fronteira.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала