11:13 10 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Cidadã russa Maria Butina, presa nos Estados Unidos em 15 de julho de 2018 sob suspeita de espionagem

    Diplomatas russos denunciam maus tratos contra estudante Maria Butina na prisão dos EUA

    Facebook / Maria Butina
    Rússia
    URL curta
    415

    Diplomatas russos realizaram neste sábado (18) uma visita de caráter emergencial à estudante russa Maria Butina, que foi transferida para uma nova prisão nos EUA.

    De acordo com a Embaixada da Rússia nos EUA, agora seu regime de detenção é isolado em confinamento solitário.

    “Diplomatas russos visitaram urgentemente nossa compatriota na nova prisão”, escreveu a embaixada em sua página no Facebook. Segundo a publicação, Butina foi transportada para a nova cadeia de repente, algemada e sem quaisquer pertences pessoais, incluindo toalhas e produtos de higiene.

    "Ela passou 12 horas em uma cela de quarentena sem comida, com a luz acesa e quase sem dormir. Ela será mantida em isolamento, em uma cela individual", disse a embaixada.

    Maria Butina é uma estudante russa recém-formada pela American University de Washington, onde recebeu seu mestrado em Relações Internacionais. Ela foi presa na capital norte-americana em 15 de julho sob a acusação de conspiração e atuação na qualidade de agente estrangeiro. Butina, que negou as acusações, não foi autorizada a pagar fiança e permanece sob custódia. Ela pode enfrentar até 15 anos de prisão, se for considerada culpada.

    A Rússia criticou o governo dos EUA por deter Butina e caracterizou as acusações contra a jovem de infundadas.

    Anteriormente, a embaixada russa nos EUA e a advogada de Maria Ushina, uma russa detida nos Estados Unidos, confirmaram à Sputnik que ela havia sido transferida para a prisão de Alexandria (Virgínia).

    Tags:
    diplomatas, prisão, Maria Butina, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik