13:40 17 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Representação gráfica dos sistemas de mísseis estratégicos russos com uma unidade de planejamento de cruzeiro hipersônico

    Especialista avalia capacidade da Rússia de manter paridade nuclear com novo armamento

    © Foto : Ministry of Defence of the Russian Federation
    Rússia
    URL curta
    4200

    As novas armas russas devem "cimentar" a paridade nuclear, disse Dmitry Peskov, porta-voz do presidente. Em entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, Alexei Leonkov observou que a Rússia é capaz de resfriar as intenções de qualquer agressor.

    A indústria militar da Rússia está tomando as medidas necessárias por causa das ameaças da OTAN, disse o secretário de imprensa Dmitry Peskov.

    "Vocês sabem que a paridade está seguramente garantida por conta das novas invenções, ou seja, devido à invenção de novos sistemas de armamento que visam 'cimentar' a paridade nuclear. A paridade nuclear é tanto um elemento de dissuasão mútua quanto um elemento que garante a segurança nuclear estratégica", ressaltou Peskov em entrevista ao canal russo RT.

    Na cúpula da OTAN em Bruxelas, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pediu aos aliados que aumentassem os gastos nacionais com defesa para os 2% do PIB exigidos pela aliança até o final deste ano.

    Os membros da OTAN decidiram em 2014 que no futuro todos os países da aliança elevarão seus gastos em defesa até ao nível exigido. No entanto, de acordo com estimativas da OTAN de junho de 2017, dos 29 membros do bloco, apenas Estados Unidos, Grécia, Reino Unido, Estônia, Romênia e Polônia gastaram pelo menos 2% do PIB em defesa. Trump pediu várias vezes aos aliados para que implementassem os acordos alcançados e aumentassem os gastos com a defesa, ameaçando reduzir a participação dos EUA em programas comuns de segurança dos países membros da OTAN.

    O especialista militar Alexei Leonkov falou sobre a capacidade da Rússia de manter a paridade nuclear.

    "Além da tríade nuclear, agora estamos desenvolvendo ativamente armas de alta precisão. Acima de tudo são sistemas de mísseis, que incluem mísseis de cruzeiro lançados do mar e do ar, o uso do qual nós mostramos durante a operação na Síria", afirmou.

    Testes do míssil balístico intercontinental Sarmat, 29 de março de 2018
    © Foto : Ministério da Defesa da Rússia
    "São os sistemas de mísseis táticos Iskander, que podem operar a uma determinada distância. Em conjunto com estes, vamos atualizar nossa tríade nuclear — a entrada em serviço do míssil balístico intercontinental RS-28 Sarmat, que não tem análogos no mundo. Além disso, uma série de sistemas foi apresentada, em 1° de março de 2018, que complementam nossa capacidade de resfriar o ardor de qualquer agressor. Trata-se da ogiva planadora para mísseis RS-26 Rubezh, do sistema de mísseis de aviação hipersônicos Kinzhal, do míssil de cruzeiro 9М730 e do veículo submarino não tripulado Poseidon. Todos eles podem transportar tanto armas nucleares como convencionais. Tudo junto, isso nos permite obter o equilíbrio. Mas os EUA e seus aliados ainda procuram uma possibilidade de alterar o equilíbrio irrevogavelmente a seu favor", disse Alexei Leonkov.

    Mais:

    Chanceler russo explica por que o país tem desenvolvido novas armas
    Rússia promete 'medidas de retaliação' caso EUA produzam novas armas nucleares
    'Fomos enganados': diplomata explica para que Rússia demonstra novas armas
    Congressistas norte-americanos apoiam plano de criação de novas armas nucleares?
    Tags:
    mísseis balísticos intercontinentais, mísseis de cruzeiro, tríade nuclear, PIB, cúpula, segurança nuclear, ameaças, especialista, OTAN, Alexei Leonkov, Donald Trump, Dmitry Peskov, Moscou, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik