00:57 25 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Vladímir Putin e Recep Tayyip Erdogan

    Putin diz que ataque dos EUA contra Síria viola Carta da ONU

    © REUTERS / Umit Bektas
    Rússia
    URL curta
    21204

    O presidente da Rússia, Vladimir Putin, e o líder turco, Recep Tayyip Erdogan, conversaram por telefone neste sábado (14) e discutiram sobre o mais recente ataque dos EUA e seus aliados contra a Síria. A informação foi divulgada pelo serviço de imprensa do Kremlin.

    "O presidente da Rússia destacou que a ação do grupo de países do Ocidente viola gravemente a Carta da ONU e as normas e princípios fundamentais do direito internacional", diz o comunicado do Kremlin.

    "As partes russa e turca procedem do fato de que, à luz do que aconteceu, é necessário intensificar a cooperação bilateral com vistas a um progresso real no processo de solução política na Síria", acrescenta a nota. 

    Os Estados Unidos, França e Reino Unido realizaram um ataque de mísseis na manhã deste sábado (14) contra alvos sírios, que, de acordo, com estes países, são usados para a produção de armas químicas. Foram lançados mais de 100 mísseis, sendo que grande parte foi interceptada pelo sistema de defesa da Síria.

    As forças da Rússia não se envolveram no ataque, mas monitoraram todos os lançamentos. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, classificou o ataque como um ato de agressão contra um Estado soberano, tendo em vista que os supostos ataques químicos por parte das forças da Síria não foram confirmados por peritos militares russos e moradores locais. 

    Mais:

    EUA dizem querer trabalhar pela paz com a Rússia, mas não descartam novo ataque à Síria
    Ataques dos EUA à Síria deixam 3 civis feridos, diz embaixador sírio na ONU
    EUA, França e Reino Unido prontos para propor resolução sobre a Síria na ONU
    Próximos alvos? Ataque à Síria é recado para Irã e Hezbollah, diz ministro israelense
    Tags:
    cooperação bilateral, crise, Recep Tayyip Erdogan, Vladimir Putin, Turquia, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik