09:56 15 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, em uma coletiva de imprensa após uma reunião do Conselho do Atlântico Norte (NAC) na sessão dos Ministros da Defesa na sede da OTAN em Bruxelas, Bélgica.

    Secretário-geral da OTAN diz que Rússia pode causar 'nova corrida nuclear' na Europa

    © REUTERS / Eric Vidal
    Rússia
    URL curta
    751

    O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, disse que a Rússia está "corre o risco" de desencadear uma nova corrida nuclear na região europeia e pediu ao país para ser transparente em seus projetos militares e manobras.

    "Os Estados Unidos, como uma das partes do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF) estabeleceram que a Rússia ameaça a existência do texto e está planejando desenvolver e testar um novo míssil de médio alcance. A Rússia, ao modernizar seu arsenal de armas nucleares e realizar exercicios nucleares, corre o risco de desencadear a nova corrida armamentista na Europa", disse Stoltenberg em entrevista ao jornal Bild.

    O chefe da aliança pediu que a Rússia cumpra com o acordado, de acordo com o jornal.

    O Tratado INF de 1987 estabelece a destruição de mísseis balísticos e de cruzeiro, lançadores e equipamentos de suporte. Os Estados Unidos e a Rússia já se acusaram repetidamente de violar o tratado.

    O presidente russo, Vladimir Putin, disse em dezembro que os Estados Unidos se retiraram de fato do tratado quando implantaram os sistemas de lançamento de mísseis na Romênia. Desde então, nas palavras do mandatário russo, o país tem insistido na narrativa de apresentar a Rússia como violadora do tratado e usar isso como motivo para se retirar do acordo.

    Moscou não tem intenção de se retirar de nenhum tratado que molda a segurança internacional, ressaltou Putin.

    Tags:
    Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário, Tratado INF, Bild, OTAN, Jens Stoltenberg, Vladimir Putin, Romênia, Estados Unidos, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik