18:26 28 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    5131
    Nos siga no

    O porta-voz do presidente russo Vladimir Putin, Dmitry Peskov, declarou que o governo russo nota que os ataques terroristas na República Árabe vão continuar.

    Contudo, o contingente militar russo na Síria possui todas as capacidades para repelir os ataques terroristas, disse ele aos jornalistas na terça-feira (9).

    "Quanto a assuntos militares, de combate ou qualquer outro parecido, é melhor receber informação dos nossos colegas do Ministério da Defesa", notou ele.

    Peskov ressaltou também que, ao tomar a decisão sobre a retirada das tropas russas da Síria, a Rússia levou em consideração em primeiro lugar o fato de não haver motivos para grandes operações de ataque.

    De acordo com o porta-voz da presidente russo, todos – inclusive Vladimir Putin – sabiam que os ataques terroristas não iriam parar de uma hora para outra. 

    "Vão continuar. E caso sejam realizados [ataques], o contingente russo e a infraestrutura militar nos pontos em Hmeymim e Tartus possuem todas as capacidades necessárias para lutar contra os ataques dos terroristas que, infelizmente, vão continuar. Isso mais uma vez prova a necessidade de intensificar esforços para resolução política", esclareceu Dmitry Peskov.

    Além disso, Peskov comentou a situação ao redor da península coreana:

    "Moscou elogia o início das negociações diretas entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul."

    O porta-voz, falando para jornalistas, ressaltou que "somente através do diálogo será possível acalmar as tensões na península coreana. Justamente o diálogo imprescindível tão falado pelas autoridades da Federação da Rússia".

    Mais:

    Base aérea russa na Síria repeliu ataque massivo de drones
    Exército sírio rompe o cerco da base militar perto de Damasco
    General: Rússia agora tem 'tesouro' de informação sobre aviões furtivos dos EUA
    Tags:
    negociações de paz, luta, base aérea, terrorismo, Dmitry Peskov, Península da Coreia, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar