03:45 10 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    13162
    Nos siga no

    A Rússia vetou o projeto de resolução do Japão para prolongar temporariamente o mandato do Mecanismo de Investigação Conjunta da Organização das Nações Unidas para a Proibição de Armas Químicas (JIM), informou o atual presidente do Conselho de Segurança da ONU e embaixador italiano nas Nações Unidas, Sebastiano Cardi.

    "O resultado da votação é o seguinte: 12 votos a favor, 2 votos contra, 1 abstenção, o projeto de resolução não foi adotado devido a um voto negativo de um membro permanente do Conselho de Segurança", disse Cardi ao Conselho de Segurança da ONU na noite de sexta-feira.

    A equipe de Trump condenou o veto da Rússia dizendo que Moscou estava protegendo o governo sírio de Bashar Assad de ser responsabilizado pelo uso de armas químicas.

    Em 26 de outubro, a Missão apresentou ao Conselho de Segurança da ONU um relatório confidencial sobre o ataque de abril na província síria de Idlib, em que mais de 80 pessoas foram mortas pelo alegado uso de gás sarin. O relatório atribui o ataque ao governo sírio. 

    O Ministério das Relações Exteriores da Rússia disse em uma declaração que as opiniões dos especialistas russos não foram levadas em consideração durante a investigação, embora "eles sejam realmente objetivos, porque, ao contrário do relatório da Missão, se baseiam em leis de física, balística e análise técnica", afirmou a Pasta na época.

    Anteriormente, a Rússia já tinha bloqueado um projeto americano com o mesmo propósito. O país também resolveu retirar a resolução própria que estabelecia parâmetros próprios para a investigação.

    Mais:

    EUA reconhecem que terroristas ligados à Frente al-Nusra usaram armas químicas
    EUA acusam Rússia de atrapalhar investigação sobre uso de armas químicas na Síria
    Zakharova: grupo Al-Shabaab planeja ataque com armas químicas na Síria
    Coreia do Norte estaria cooperando para o desenvolvimento de armas químicas na Síria
    Tags:
    Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Conselho de Segurança da ONU, Sebastiano Cardi, Bashar Assad, Moscou, Síria, Japão, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar