22:00 20 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Cidade síria de Deir ez-Zor (arquivo)

    Rússia envia drones a cidade síria onde ataque da Coalizão teria causado vazamento químico

    © flickr.com/ Jose Javier Martin Espartosa
    Rússia
    URL curta
    12160

    O Ministério da Defesa russo disse que enviou aviões não tripulados para o local de um vazamento químico resultado de um suposto ataque da coalizão liderada pelos EUA.

    No início do dia, o Estado-Maior Geral da Síria disse que o ataque da coalizão liderada pelos EUA em um depósito do Daesh (autodenominado Estado Islâmico, proscrito na Rússia) teria resultado em um vazamento de produtos químicos perto de Deir ez-Zor. Se confirmado, isso provaria que terroristas na Síria têm armas químicas, de acordo com o comando militar sírio.

    De acordo com o Estado-Maior, o ataque custou a vida de centenas, incluindo civis. Os militares russos disseram que não têm informações o suficiente para confirmar os relatos de morte como resultado do ataque.

    "O Ministério da Defesa da Rússia não possui informações confirmando relatos de mortes e o tipo de destruição como resultado do bombardeio da coalizão liderada pelos EUA perto de Deir ez-Zor. Veículos aéreos não tripulados foram enviados para a área para monitorar a situação", informou o ministério.

    A coalizão liderada pelos EUA negou que ataque tenha atingido um armazém terrorista de armas químicas.

    Nos últimos dias, Washington e seus aliados vêm culpando o governo sírio por um suspeito de ataque químico na província síria de Idlib no dia 4 de abril.

    A oposição síria afirmou que forças leais ao presidente Bashar Assad usaram gás sarin em civis da província do noroeste, matando quase 80 e ferindo 200 pessoas. Assad argumentou que seu governo não tem armas químicas depois de concordar em destruí-las em 2013. Ele também descartou ter usado produtos químicos contra civis.

    O Ministério da Defesa russo disse no dia seguinte que o ataque aéreo perto de Khan Shaykhun foi realizado por aeronaves da Síria, que atingiram um armazém terrorista que armazenava armas químicas prontas para serem entregues no Iraque.

    Mais:

    Turquia diz ter provas que sarin foi utilizado em ataque químico na Síria
    Especialista explica por que ataque químico em Idlib não passou de encenação
    EUA: responsabilidade de Assad pelo ataque químico é provada por materiais secretos
    Tags:
    Estado-Maior Geral da Síria, Ministério da Defesa (Rússia), Bashar Assad, Khan Shaykhun, Deir ez-Zor, Estados Unidos, Idlib, Iraque, Síria, Washington
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar