11:47 13 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Atentado de 11 de setembro em Nova York

    Diplomacia russa adverte sobre mais atentados como 9/11

    © AP Photo / Marty Lederhandler
    Rússia
    URL curta
    7181

    O vice-ministro russo explica como o terrorismo se modificou desde 11 de setembro de 2001.

    O vice-ministro do Exterior russo Oleg Syromolotov afirmou que são possíveis atentados semelhantes ao de 11 de setembro de 2001 nos EUA, mas sublinhou que a comunidade internacional se esforça por não os deixar ocorrer.

    "São possíveis atentados, embora seja difícil prever sua escala, e todo o mundo está tomando medidas preventivas para não permitir que isso aconteça", disse o diplomata na entrevista à agência russa RIA Novosti.

    Segundo Syromolotov, "após o 11 de setembro havia somente a Al-Qaeda, mas as organizações terroristas mudaram".

    "Primeiramente, apareceu o Daesh (proibido em muitos países, incluindo a Rússia) que pretende criar o assim chamado califado, seus adeptos estão proliferando em todo o mundo. Muitas organizações terroristas em vários países prestam de repente juramento ao Daesh. E isso acontece em várias regiões: na África, Sudeste Asiático, Afeganistão", explicou ele.

    Oleg Syromolov frisou que apareceu mais uma ameaça. Os que foram combater para a África do Norte está voltando aos seus países. Isso é uma ameaça direta à paz em diversas regiões.

    O vice-ministro divulgou dados estatísticos segundo os quais cinco mil cidadãos europeus viajaram para as zonas de conflito, uma parte deles, cerca de dois mil, já voltou. O diplomata notou que eles podem ocupar-se "só de uma coisa – cometer atentados".

    Oleg Syromolotov assinalou que "estão a ser criadas células 'adormecidas' bastante perigosas que em qualquer momento podem começar a funcionar". "Nunca houve tal fenômeno: pessoas que nunca participaram de ações terroristas estão aderindo às organizações terroristas individualmente".

    Mais:

    Rússia alerta seus cidadãos no exterior
    Riad adverte EUA sobre 'lei antissaudita'
    Tendência perigosa: Maior parte do Daesh vai fugir da Síria para Líbia até 2017
    Tags:
    11/09, Daesh, Oleg Syromolotov, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik