14:47 23 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0 111
    Nos siga no

    General de brigada iraniano Abolfazl Shekarchi criticou mídias ocidentais, israelenses e sauditas por acusarem o Irã de ataques marítimos na região do golfo Pérsico, qualificando as alegações de "guerra psicológica".

    Na quarta-feira (4), Shekarchi, o porta-voz das Forças Armadas do Irã, reagiu às acusações contra Teerã feitas por mídias sobre o "sequestro potencial" do petroleiro Asphalt Princess no golfo de Omã, bem como o ataque recente a outro petroleiro, Mercer Street, de um operador israelense.

    "Relatos conflitantes publicados por algumas mídias ocidentais, sionistas e sauditas sobre insegurança marítima, sequestro de navios etc. nas águas regionais são um tipo de guerra psicológica e são feitas para preparar o terreno para novo aventureirismo", disse o general.

    Ele adicionou que os militares do país possuem dados de inteligência sobre "movimentos suspeitosos" e estão prontos para agir. Além disso, Shekarchi disse que o Irã está disposto a estender a ajuda a navios estrangeiros que atravessam a região, caso seja necessário.

    Os comentários surgiram após uma série de publicações que culpam o Irã do incidente. O jornal The Times, referindo-se a fontes governamentais britânicas, relatou que o navio foi sequestrado por uma equipe de oito ou nove atacantes, com as autoridades do país "trabalhando em uma suposição" que Teerã estaria por trás do ato.

    Mercer Street, petroleiro de gerenciamento israelense, ao largo do porto de Fujairah, Emirados Árabes Unidos, 3 de agosto de 2021
    © REUTERS / Rula Rouhana
    Mercer Street, petroleiro de gerenciamento israelense, ao largo do porto de Fujairah, Emirados Árabes Unidos, 3 de agosto de 2021

    O representante do Departamento de Estado dos EUA Ned Price, entretanto, reconheceu que tem havido "um padrão muito perturbador de beligerância do Irã", mas adicionou que era cedo demais para "apresentar julgamento" sobre o ataque ao Asphalt Princess.

    O premiê israelense Naftali Bennett, por sua vez, fez um aviso severo a Teerã sobre o "preço" que pagará por se intrometer nos assuntos de Tel Aviv, depois que o Irã supostamente atacou o petroleiro Mercer Street na semana passada.

    O chanceler da Arábia Saudita, príncipe Faisal bin Farhan Al Saud, condenou os recentes assaltos marítimos dizendo que "em toda a região, o Irã continua sendo encorajado" e adicionando que Teerã coloca em perigo o "transporte marítimo no golfo Arábico".

    O Irã negou qualquer envolvimento nos ataques, enquanto o representante da chancelaria iraniana, Saeed Khatibzadeh, disse que "os incidentes relatados no golfo Pérsico e em toda a região parecem altamente suspeitos".

    Ontem (3), o serviço de informação sobre transporte marítimo Lloyd's List informou que o navio-tanque Asphalt Princess, de bandeira do Panamá, foi sequestrado nas águas internacionais no golfo de Omã. Outro petroleiro, o Mercer Street, de propriedade japonesa, foi atacado na semana passada.

    Mais:

    Secretário de Estado dos EUA adverte o Irã que haverá 'resposta coletiva' após caso de petroleiro
    Irã adverte que responderá 'imediata e fortemente' a qualquer provocação após ataque a petroleiro
    'Isso é loucura': Pompeo pede fim das negociações EUA-Irã após ataque a petroleiro israelense
    Tags:
    Irã, ataque, petroleiro, guerra, psicologia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar