19:34 16 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Hoje atualizado
    URL curta
    0251
    Nos siga no

    Bom dia! A Sputnik Brasil está acompanhando as matérias mais relevantes desta quarta-feira (4), marcada pelo ataque à residência do ministro da Defesa afegão, pela nova detenção da ex-presidente interina da Bolívia e pelo incidente perto do Pentágono.

    Mais uma vacina brasileira está pronta para iniciar estudos clínicos; jovens com deficiência podem ser vacinados no DF

    Nesta quarta-feira (4), começa a vacinação contra a COVID-19 de adolescentes entre 12 e 17 anos. Recentemente, o governo do Distrito Federal incluiu mais doenças à lista de comorbidades a serem contempladas na vacinação desta faixa etária. Conforme a Secretaria de Saúde, as vacinas podem ser administradas a jovens com síndrome de Down, autismo, deficiência física, visual, mental ou auditiva e deficiência múltipla. Serão cinco mil vagas abertas às 14h00 de hoje (4). Adicionalmente, pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e da Fiocruz disseram estar prontos para iniciar os testes clínicos da Spintec, mais uma candidata à vacina anti-COVID-19 desenvolvida no Brasil. A Spintec é o terceiro imunizante em desenvolvimento no país a entrar com um pedido desses, além dos produtos ButanVac e Versamune, relembra o jornal Correio Braziliense. Segundo um dos participantes do projeto, a vacina não usa o vírus inteiro inativado, mas apenas um pedaço dele. O imunizante já passou testes em animais. Entretanto, o Brasil confirmou mais 1.238 mortes e 32.694 casos de COVID-19, totalizando 558.597 óbitos e 19.986.073 diagnósticos da doença, informou o consórcio entre secretarias estaduais de saúde e veículos de imprensa.

    Fila de pessoas em um campo aguardando vacinação, Brasília, 3 de agosto de 2021
    © AP Photo / Eraldo Peres
    Fila de pessoas em um campo aguardando vacinação, Brasília, 3 de agosto de 2021

    Comissão da Câmara convoca Braga Netto por ameaça às eleições

    Nesta terça-feira (3), a Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara aprovou a convocação do ministro da Defesa, general Braga Netto, para dar explicações sobre as alegadas ameaças às eleições de 2022 caso o voto impresso não seja aprovado pelo Congresso. O ministro deve comparecer no colegiado no dia 17 de agosto. O requerimento foi apresentado pelo deputado Rogério Correia. O objetivo da convocação é que o general esclareça as supostas afirmações a interlocutores, reveladas por uma reportagem divulgada pelo jornal Folha de São Paulo em 22 de junho de 2021, "condicionando a realização de eleições à adoção do voto impresso como forma de promoção de auditoria da referida eleição". Segundo essa publicação, Braga Netto teria mandado um recado por meio de um interlocutor ao presidente da Câmara, Arthur Lira, de que, sem a aprovação do voto impresso, não haveria eleições em 2022. De acordo com Rogério Correia, "o ministro da Defesa não pode chantagear uma nação, nem mesmo deixar dúvidas sobre o processo democrático, e insinuar que isso pode ser substituído por um fechamento autoritário".

     Presidente Jair Bolsonaro e ministro da Defesa Walter Souza Braga Netto conversam após encontro em Brasília, 22 de julho de 2021
    © REUTERS / Adriano Machado
    Presidente Jair Bolsonaro e ministro da Defesa Walter Souza Braga Netto conversam após encontro em Brasília, 22 de julho de 2021

    Mais um petroleiro capturado no golfo de Omã está em segurança

    Os invasores já deixaram o navio que tinha sido atacado no golfo de Omã e ele está em segurança agora, informou na quarta-feira (4) o Centro de Operações de Comércio Marítimo do Reino Unido (UKMTO, na sigla em inglês). "Os invasores saíram da embarcação. O navio está em segurança. O incidente terminou", disse o Centro em comunicado, emitindo também um conselho para os navios "terem extrema cautela ao transitar nesta área". Na tarde desta terça-feira (3), o UKTMO notificou sobre "um incidente de não pirataria", sem indicar o nome do navio, no golfo de Omã. Tratava-se de uma notificação de nível vermelho (ataque, sequestro, incidente, rapto) a leste do emirado de Fujairah dos EAU. Depois, o centro atualizou o incidente para sequestro potencial. Depois disso, foi reportado que o petroleiro Asphalt Princess, sob bandeira do Panamá, teria sido capturado por um grupo de pessoas armadas na costa dos Emirados. Isso vem em meio a um escândalo envolvendo outro petroleiro, o Mercer Street, de propriedade japonesa, que foi atacado na semana passada. Israel, Reino Unido e EUA culparam o Irã, apesar de Teerã negar ter tido qualquer papel no incidente. O representante da chancelaria iraniana, Saeed Khatibzadeh, questionou vários incidentes no golfo. "Os incidentes relatados no golfo Pérsico e em toda a região parecem totalmente suspeitos. Reafirmando nosso forte compromisso com a estabilidade regional e a segurança marítima, o Irã está pronto para prestar assistência no caso de quaisquer incidentes marítimos", tweetou.

    Petroleiro Mercer Street, atacado ao largo da costa de Omã, perto dos Emirados Árabes Unidos, 3 de agosto de 2021
    © REUTERS / Rula Rouhana
    Petroleiro Mercer Street, atacado ao largo da costa de Omã, perto dos Emirados Árabes Unidos, 3 de agosto de 2021

    Bolívia: juiz ordena nova detenção preventiva de 6 meses de ex-presidente Áñez

    Nesta terça-feira (3), um juiz da capital boliviana ordenou uma segunda prisão preventiva de meio ano da ex-presidente interina Jeanine Áñez (2019-2020), que está detida, ao aceitar uma nova ação penal ordinária por sua atuação no golpe de novembro de 2019. Os colaboradores de Áñez criticaram a decisão: "Dividem um processo para prolongar a detenção de Jeanine Áñez. Impõem em audiência cautelar outros seis meses de injusta privação de liberdade, de violação dos direitos humanos e das garantias", disseram no Twitter. A ordem surgiu quando a ex-presidente estava prestes a completar cinco dos seis meses de prisão preventiva desde a abertura do processo contra os alegados responsáveis pela interrupção democrática de 2019. Naquele ano, ocorreram o derrube do presidente Evo Morales e a instalação do governo transitório. O segundo mandado de detenção, que, conforme a imprensa local, entrou imediatamente em vigor, implica que Áñez estará detida pelo menos até princípios de fevereiro de 2022. Añez está acusada, em ambos os casos, de haver tomado o poder de forma ilegal, tendo se autoproclamado presidente do Senado, cargo que não poderia ocupar porque ela era da minoria parlamentar, para depois assumir, por sua própria decisão e sem voto legislativo, a presidência interina do país.

    Ex-presidente interina da Bolívia Jeanine Áñez escoltada por efetivos da Força Especial de Luta contra o Crime (FELCC), na prisão de Obrajes, após juiz ter ordenado quatro meses de prisão preventiva, 15 de março de 2021
    © AFP 2021 / AIZAR RALDES
    Ex-presidente interina da Bolívia Jeanine Áñez escoltada por efetivos da Força Especial de Luta contra o Crime (FELCC), na prisão de Obrajes, após juiz ter ordenado quatro meses de prisão preventiva, 15 de março de 2021

    Ataque à residência do ministro da Defesa do Afeganistão deixa 8 mortos

    Nesta terça-feira (3), uma testemunha e uma fonte da polícia de Cabul contaram à Sputnik que um carro explodiu perto da residência do ministro da Defesa do país, Bismillah Khan Mohammadi. O número de mortos em resultado do acidente subiu para oito pessoas, informou o representante do ministério. "Oito civis foram mortos, mais 20 pessoas, incluindo guardas de Mohammadi, ficaram feridos", disse. O representante não descartou que o número de vítimas possa aumentar. A emissora afegã Tolo News informou que o ataque terminou após mais de quatro horas, citando informação preliminar do Ministério do Interior da República Islâmica. Quatro militantes estiveram envolvidos no ataque. O próprio ministro da Defesa Bismillah Khan Mohammadi confirmou que não ficou ferido durante o ataque e que vai continuar seu trabalho para proteger o Afeganistão. "Minha família e eu estamos bem. Infelizmente, três guarda-costas foram feridos. Os ataques terroristas não têm nenhum efeito em nossa determinação para combater os terroristas", disse ele em vídeo, citado pelo porta-voz do Ministério da Defesa afegão, Fawad Aman.

    Oficiais de segurança afegãos perto dos destroços de veículo, um dia após uma explosão de um carro-bomba em Cabul, 4 de agosto de 2021
    © AFP 2021 / WAKIL KOHSAR
    Oficiais de segurança afegãos perto dos destroços de veículo, um dia após uma explosão de um carro-bomba em Cabul, 4 de agosto de 2021

    Ataque após troca de tiros perto do Pentágono

    A Agência de Segurança do Pentágono (PFPA, na sigla em inglês) confirmou que um de seus policiais foi morto durante uma troca de tiros fora do Pentágono nesta terça-feira (3). "A PFPA lamenta a trágica perda de um policial do Pentágono morto durante o incidente desta manhã", tweetou a agência. "Nossos pensamentos e orações estão com a família do oficial." Na terça-feira (3), o chefe da Polícia do Pentágono, Woodrow Kusse, notificou que um policial foi atacado na plataforma de ônibus fora do prédio do Departamento de Defesa, com troca de tiros que resultou em várias vítimas. O atacante foi morto por um policial do Pentágono. A agência Associated Press identificou o suspeito morto como Austin William Lanz, de 27 anos. O relatório diz que Lanz emboscou um policial do Pentágono, esfaqueando-o no pescoço, antes que outros policiais atirassem e o matassem. De acordo com fontes, Lanz se alistou no Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA em 2012, mas foi "afastado administrativamente" menos de um mês depois. No entanto, o motivo do atacante permanece pouco claro. O secretário de Defesa Lloyd Austin disse em comunicado que a investigação procura esclarecer as circunstâncias do incidente.

    Mais:

    Prevaricação: PF pede ao Planalto detalhes sobre encontro entre Luís Miranda e Bolsonaro
    Colisão de 2 trens na República Tcheca provoca 3 mortos e cerca de 50 feridos (FOTOS)
    Pyongyang rotula de 'provocação' plano do Reino Unido de implantar navios de guerra na Ásia-Pacífico
    Biden pede que governador de Nova York renuncie após investigação concluir que ele assediou mulheres
    Tags:
    Brasil, Afeganistão, explosão, Pentágono, Bolívia, Evo Morales, General Braga Netto, Walter Souza Braga Netto, Omã, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar