07:33 02 Agosto 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    1131
    Nos siga no

    O Talibã (organização terrorista proibida na Rússia) está pronto para um compromisso político no Afeganistão, sua cúpula "ficou farta de guerra", disse um representante do MRE russo.

    O representante especial do presidente da Rússia para o Afeganistão, diretor do Segundo Departamento da Ásia do MRE russo, Zamir Kabulov, afirmou, durante uma discussão do Clube Internacional Valdai, que "os talibãs também mudaram com esse acordo de paz. Por mais de 20 anos, a principal parte da liderança, obviamente, ficou farta de guerra e compreende a necessidade de buscar caminhos políticos para sair do impasse atual".

    "Eu sinto, vejo não apenas em suas palavras, mas também em suas intenções, que são expressas de várias formas, que eles estão prontos para um compromisso político, mas, do ponto de vista deles, o compromisso político tem que ser apresentado de maneira digna", adicionou.

    Ao mesmo tempo, Kabulov observou que estão surgindo novas gerações de "combatentes apaixonados que têm grande fervor" e ainda não viveram em um Afeganistão não ocupado. Eles estão convencidos de que estão lutando pela libertação do Afeganistão dos estrangeiros, observou o representante especial da presidência russa.

    Ele também esclareceu que os talibãs declaram em contatos com Moscou que não estão interessados nos países vizinhos, eles estão ocupados com a luta com o governo do Afeganistão.

    "Os talibãs estão ocupados com as suas disputas internas, eles estão apenas assumindo o controle dos territórios das forças governamentais. Eles não estão interessados nos países vizinhos, como nos têm dito nos últimos sete anos", disse Kabulov.

    Por enquanto, acrescentou, não há evidência de unidades talibãs armadas cruzando a fronteira com os vizinhos Uzbequistão e Tajiquistão ou tentando fazer isso. "Não temos motivos para duvidar que eles estão engajados em uma agenda puramente interna", reiterou ele.

    Soldado do Exército Nacional do Afeganistão em posto de observação em Mahipar, na autoestrada Jalalabad-Cabul, Afeganistão, 8 de julho de 2021
    © REUTERS / Mohammad Ismail
    Soldado do Exército Nacional do Afeganistão em posto de observação em Mahipar, na autoestrada Jalalabad-Cabul, Afeganistão, 8 de julho de 2021

    Além disso, o representante russo declarou que "a Rússia parte do princípio de que todos os aliados e parceiros dos Estados Unidos que estiveram envolvidos nesta fracassada operação afegã possuem igual responsabilidade financeira e que todos eles deveriam prestar ajuda econômica ao Afeganistão".

    No Afeganistão está em curso um confronto entre as forças governamentais e militantes do movimento Talibã. Estes últimos capturaram grandes territórios nas zonas rurais e começaram uma ofensiva contra as cidades principais. A instabilidade no Afeganistão aumenta em meio às promessas da administração Biden de retirar as tropas americanas do solo afegão até 31 de agosto próximo.

    Em 2020, Washington e representantes do Talibã assinaram em Doha o primeiro acordo de paz em mais de 18 anos da guerra, que prevê a retirada das tropas estrangeiras do país no prazo de 14 meses e o início do diálogo intra-afegão após a troca de reféns.

    Mais:

    'Missão deles falhou': Lavrov comenta saída dos EUA do Afeganistão
    Ex-comandante da OTAN avisa que Afeganistão vai colapsar em 'guerra civil brutal' após saída dos EUA
    Afeganistão busca assistência militar na Índia em meio a escalada do conflito com Talibã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar