20:29 19 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    5173
    Nos siga no

    Em meio às negociações para remoção de sanções e retomada do acordo nuclear entre EUA e Irã, a TV iraniana transmitiu no último domingo (2) um vídeo em tom de ameaça, que pode afetar o entendimento entre os dois países.

    A televisão estatal iraniana Arab News exibiu um vídeo mostrando um suposto ataque de míssil que faz explodir o Capitólio, em Washington, reforçando uma ideologia anti-Estados Unidos. O Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica (IRGC, na sigla em inglês), um braço das Forças Armadas iranianas, teria sido o autor do vídeo, que também mostra um grupo de clérigos iranianos avançando em direção a Jerusalém.

    O canal relata que a gravação de 11 segundos foi transmitida no domingo (2), antes de um discurso na televisão do líder supremo do país, o aiatolá Ali Khamenei.

    No início do vídeo, são vistos membros do IRGC, um lançamento de um míssil e uma montagem de uma explosão na cúpula da sede do Congresso norte-americano. Kasra Aarabi, analista do Tony Blair Institute, postou o vídeo no Twitter e destacou que na música ouvida no vídeo há uma frase em que o Capitólio é descrito como "o palácio da opressão".

    Hoje, antes da palestra de Khamenei, a TV estatal do Irã transmitiu este clipe mostrando um ataque do IRGC ao Congresso [dos EUA]. Sim, é propaganda. Mas mostra a ideologia antiamericana do IRGC, que está ganhando poder. Os EUA devem dar ao Irã bilhões de dólares em alívio das sanções antes de enfrentar o desafio do IRGC?

    O senador republicano Pat Toomey retweetou o vídeo e defendeu a manutenção das sanções. "Na semana passada, o diplomata-chefe do Irã supostamente admitiu que o IRGC é quem manda em Teerã. Agora, o Irã lança um vídeo falso do IRGC explodindo nosso Capitólio. A prioridade da administração Biden deve ser garantir que o Irã não possa realizar tal ataque, não capitulando com a remoção das sanções", enfatizou.

    O vídeo foi ao ar enquanto as negociações continuam para reativar o acordo nuclear de 2015. O Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA) foi assinado em 2015 pelo Irã e pelo Grupo 5 + 1 (Reino Unido, China, França, Rússia, EUA e Alemanha) e estipula o cancelamento de uma série de sanções contra Teerã, que haviam sido impostas para evitar que o país desenvolvesse ou adquirisse armas nucleares.

    O pacto limita a 3,67% a pureza com que o Irã pode enriquecer urânio. No entanto, Teerã começou a aumentar a taxa de enriquecimento de urânio além desse limite depois que o ex-presidente Donald Trump retirou os EUA do acordo em 2018 e voltou a impor sanções ao país.

    Mais:

    EUA afirmam que houve progresso nas negociações sobre acordo nuclear com o Irã
    Irã anuncia flexibilização das sanções sobre seu programa nuclear
    EUA planejam descongelar ativos do Irã no valor de US$ 7 bilhões, diz mídia
    Tags:
    acordo nuclear, sanções, explosão, Irã, Capitólio dos EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar