06:03 25 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0 60
    Nos siga no

    ​O governo do Chade informou neste sábado (3) que foram detidos os militares acusados de terem cometido ao menos três estupros durante operações no Níger, inclusive contra uma criança de apenas 11 anos de idade.

    Cerca de 1.200 chadianos foram enviados ao país vizinho como parte de uma missão internacional liderada pela França para combater a ação de militantes jihadistas. O Ministério das Relações Exteriores do Chade, segundo a Reuters, se posicionou sobre a polêmica dizendo que os alegados casos de assédios e ataques sexuais teriam sido incidentes isolados e não deveriam manchar a reputação do Exército Nacional.

    "Os perpetradores já foram presos e sofrerão as sanções necessárias", disse a chancelaria através de um comunicado citado pela agência, que não menciona o número exato de militares detidos ou acusados.

    Na última sexta-feira (2), uma comissão de direitos humanos do Níger solicitou a abertura de um inquérito independente para apurar os relatos de abusos supostamente cometidos pelos militares estrangeiros no país. 

    ​Evidências preliminares, baseadas em depoimentos e exames médicos, indicam que ao menos duas mulheres, incluindo uma grávida, e uma menina de 11 anos teriam sido estupradas pelos soldados.

    Mais:

    Níger: dezenas de pessoas são mortas em ataques perto da fronteira com Mali
    Tiros são ouvidos perto do escritório do presidente eleito do Níger, diz mídia
    Níger frustra 'tentativa de golpe' a 2 dias da posse de novo presidente
    Chade diz que enviará 1.200 soldados para zona de fronteira com Mali, Níger e Burkina Faso
    Tags:
    direitos humanos, jihadistas, assédio, militares, soldados, estupro, Chade, Níger
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar