11:50 17 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    6361
    Nos siga no

    Na semana que vem ocorrerá uma reunião presencial sobre o Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA, na sigla em inglês) em Viena, Áustria, para analisar o possível regresso dos EUA a esse plano.

    O Ministério das Relações Exteriores do Irã rejeita qualquer levantamento "passo a passo" das sanções impostas à República Islâmica pelo ex-presidente norte-americano Donald Trump.

    "Como já foi dito claramente muitas vezes, nenhum plano passo a passo está sendo considerado […] A política definitiva da República Islâmica do Irã é o levantamento de todas as sanções dos EUA, sejam as reimpostas por Trump após a retirada do JCPOA ou as que ele iniciou, bem como as sanções impostas sob qualquer outra liderança", disse Saeed Khatibzadeh, porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Irã, citado pelo portal Press TV neste sábado (3).

    Os comentários de Khatibzadeh ocorrem logo após a vice-porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Jalina Porter, ter dito na sexta-feira (2) que o foco das negociações na próxima semana, em Viena, Áustria, sobre a retomada do acordo nuclear que o Irã assinou com potências mundiais em 2015 se concentrará nas "medidas nucleares que o Irã precisará tomar para retornar à conformidade" com esse acordo.

    Representantes da União Europeia, EUA, Reino Unido, França, Alemanha, Rússia, China e Irã durante as negociações sobre o acordo nuclear com o Irã, em Viena (foto de arquivo)
    © AFP 2021 / Joe Klamar
    Representantes da União Europeia, EUA, Reino Unido, França, Alemanha, Rússia, China e Irã durante as negociações sobre o acordo nuclear com o Irã, em Viena (foto de arquivo)

    Reunião presencial

    O ministro das Relações Exteriores do Irã, Javad Zarif, informou que Teerã está planejando realizar uma reunião presencial com os demais signatários do JCPOA (União Europeia, França, Alemanha, Reino Unido, China e Rússia) em Viena, Áustria, em 6 de abril, sem mencionar os EUA na lista. Zarif ressaltou que uma reunião entre o Irã e os EUA é "desnecessária" neste momento.

    "A reunião, na qual a delegação iraniana participará, é uma reunião da Comissão Conjunta a que assistirão apenas os países-membros [Rússia, China, França, Grã-Bretanha e Alemanha, bem como representantes do Irã e da UE]. O objetivo [da reunião] é analisar o possível regresso dos EUA ao JCPOA", afirmou o vice-ministro iraniano das Relações Exteriores, Abbas Araghchi, na sexta-feira (2).

    Mas o Irã já afirmou que não pretende realizar negociações diretas ou indiretas com os EUA até que as sanções sejam suspensas. Anteriormente, Washington se recusou a iniciar negociações com Irã até que Teerã deixe de violar as condições do acordo nuclear sobre os limites de armazenamento de combustível nuclear e o nível de enriquecimento de urânio de 3,67%.

    Mais:

    Israel é capaz de 'destruir completamente' o programa nuclear do Irã, diz general das FDI
    EUA reconhecem colaboração da China para limitar programa nuclear iraniano
    Rouhani: EUA 'arrastam os pés' com acordo nuclear perdendo 'oportunidade de ouro'
    Instituto sueco avalia chances de tensões nucleares entre China e Índia
    Tags:
    JCPOA, EUA, pacto nuclear, nuclear, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar