11:35 05 Março 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    2140
    Nos siga no

    O ministro da Defesa da Turquia disse no domingo (14) que 13 turcos foram sequestrados e executados por militantes curdos no norte do Iraque.

    O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, acusou nesta segunda-feira (15) os EUA de apoiarem militantes curdos que, segundo Ancara, teriam executado 13 turcos no norte do Iraque.

    "A declaração feita pelos EUA é uma piada. Vocês disseram que não apoiavam os terroristas, quando, na verdade, estão do lado e por trás deles", declarou Erdogan, citado pela agência AFP.

    O ministro da Defesa da Turquia, Hulusi Akar, afirmou no domingo (14) que 13 turcos anteriormente sequestrados, incluindo policiais, foram mortos a tiros por militantes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK). Washington disse que condenaria os assassinatos se os relatos de que o PKK era o responsável fossem confirmados.

    Na semana passada, Turquia lançou uma operação para combater o PKK. Até domingo (14), 48 militantes do PKK foram mortos durante a operação Pence Kartal-2 no norte do Iraque.

    Fundado na década de 1970, o PKK lutou de armas nas mãos contra o governo de Ancara por décadas, exigindo a criação da autonomia curda no sudeste da Turquia. Um acordo de cessar-fogo alcançado em 2013 foi abortado dois anos depois.

    Desde seu reinício, em julho de 2015, os ataques de rebeldes curdos mataram mais de 1.000 soldados e policiais turcos e cerca de 500 civis.

    Mais:

    Rússia e Turquia negociam produção conjunta da vacina Sputnik V
    Destróieres de mísseis dos EUA e fragatas da Turquia conduzem exercícios no mar Negro (FOTOS, VÍDEO)
    Turquia se diz pronta para compartilhar experiência da OTAN com Iraque
    Forças Armadas da Turquia eliminam mais de 30 membros do PKK no norte de Iraque (VÍDEOS)
    Tags:
    Recep Tayyip Erdogan, Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), combatentes curdos, curdos, Iraque, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar