08:07 01 Março 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    122
    Nos siga no

    Embaixador interino dos EUA na ONU, Richard Mills, anunciou que a administração Biden endossa a solução de dois Estados entre Israel e a Palestina, mas "manterá seu apoio firme" aos israelenses.

    Em um discurso virtual ao Conselho de Segurança da ONU na terça-feira (26), Mills afirmou que Washington vai insistir que Israel e os palestinos "evitem [dar] passos unilaterais, o que tornaria a solução de dois Estados mais difícil, bem como anexação territorial, atividade de assentamento, demolição, incitação à violência e garantia de indenizações para indivíduos detidos por atos de terrorismo".

    O embaixador adicionou que a Casa Branca espera "ser possível começar a trabalhar para lentamente desenvolver competência em ambos os lados a fim de criar um ambiente no qual poderíamos mais uma vez ajudar a alcançar a solução" de dois Estados.

    Ao mesmo tempo, o diplomata esclareceu que Washington não considera estes passos "um favor para Autoridade Palestina", ressaltando que "a assistência dos EUA beneficia os milhões de palestinos comuns e ajuda a preservar o ambiente estável favorável tanto para palestinos como para israelenses".

    Mills prometeu que a administração Biden seguirá induzindo outros países a normalizarem laços com Israel, mesmo não sendo isso uma "substituição da paz" entre Israel e a Palestina.

    Além do mais, o embaixador assinalou o apoio norte-americano à Palestina, destacando que a administração Biden planeja reabrir a missão diplomática palestina em Washington, anteriormente fechada por Donald Trump.

    O discurso foi pronunciado após a secretária de Imprensa da Casa Branca Jen Psaki declarar na terça-feira (26) aos jornalistas que Biden acredita "que a solução de dois Estados permanece sendo o único caminho para" paz entre Israel e a Palestina, citada pela Reuters.

    Solução de 2 Estados

    A solução de dois Estados é um projeto que prevê a criação do Estado da Palestina que cooperará pacificamente com o existente Estado judeu, na tentativa de dar um basta ao conflito israelo-palestino e servir de alicerce para paz duradoura no Oriente Médio.

    Jerusalém Oriental, território disputado por Israel e Palestina
    © REUTERS / Ammar Awad
    Jerusalém Oriental, território disputado por Israel e Palestina

    Durante anos, os palestinos têm almejado o reconhecimento diplomático para a criação de um Estado palestino nos territórios da Cisjordânia, abrangendo até mesmo Jerusalém Oriental.

    Os governos israelense, norte-americano, francês, britânico, alemão e outros se opõem até então a reconhecer a Autoridade Palestina como uma independente unidade política e diplomática, o que abre as portas para o contínuo da construção de assentamentos israelenses em áreas contestadas por palestinos.

    Mais:

    Palestinos aceitam dinheiro de impostos de Israel para aliviar crise econômica
    Palestina está pronta para retomar diálogo com Israel, diz embaixador na Rússia
    Erdogan: Turquia quer laços com Israel, mas postura com a Palestina é 'inaceitável'
    Israel envia vacinas à Autoridade Nacional Palestina para 'casos humanitários'
    Tags:
    solução de dois Estados, EUA, Joe Biden, Palestina, israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar