01:53 26 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    10626
    Nos siga no

    A Turquia não é um "Estado tribal" que pode ser manipulado, declarou Recep Tayyip Erdogan, repudiando as advertências dos EUA relacionadas à aquisição de sistemas de defesa antiaérea S-400 de fabricação russa.

    Durante discurso neste domingo (25) na cidade turca de Malatya, o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, deixou claro que Ancara conduzirá até o fim a implantação dos seus sistemas S-400, e que não será interrompida por quaisquer ameaças ou sanções.

    O líder turco até desafiou Washington a avançar com a introdução de sanções relacionadas aos sistemas de defesa antiaérea de fabricação russa, escreve agência Associated Press. 

    "Vocês não sabem com quem estão lidando. Quaisquer sanções que tiverem, não nos deixem esperando, introduzam-nas. Nós pagamos por [caças] F-35. Vocês nos ameaçaram. Dizendo, 'enviem os S-400 de volta para Rússia'. Não somos um Estado tribal. Somos Turquia", avançou Erdogan.

    As declarações do líder turco surgem após os comentários do Pentágono de condenação aos recentes testes dos S-400 "com a maior veemência possível", alertando que as atividades de Ancara podem provocar "consequências graves para as nossas relações de segurança".

    "Temos sido claros e inequívocos em nosso posicionamento: um sistema S-400 operacional é incompatível com os compromissos assumidos pela Turquia enquanto aliado dos EUA e da OTAN", sublinhou Pentágono.

    Na semana passada, o ministro da Defesa turco, Hulusi Akar, confirmou que a Turquia obteve sucesso nos testes dos sistemas russos de defesa antiaérea S-400 na cidade de Sinop.

    Mais:

    Grécia, Egito e Chipre condenam 'ameaça' da Turquia no leste do Mediterrâneo
    Turquia quer alternativas da OTAN ao S-400 e não críticas, diz ministro da Defesa turco
    Macron convoca embaixador na Turquia após fala de Erdogan
    Tags:
    sanções, Rússia, Pentágono, Recep Tayyip Erdogan, EUA, Turquia, S-400, sistema de defesa antiaérea
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar