23:47 30 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    4448
    Nos siga no

    O presidente americano Trump e o premiê israelense Benjamin Netanyahu decidiram encerrar planos de anexação de territórios palestinos por Israel.

    O acordo de paz anunciado por Trump entre Israel e os Emirados Árabes Unidos seria produto de longas discussões entre Israel, EUA e os Emirados Árabes.

    O anúncio, foi feito por Trump em sua conta no Twitter e aponta para uma aproximação histórica entre Israel e os Emirados Árabes Unidos.

    Enorme avanço hoje! Acordo de paz histórico entre nossos grandes amigos Israel e os Emirados Árabes Unidos!

    Em conformidade com o acordo, Israel concordou em suspender seus planos de expansão de sua soberania na Cisjordânia.

    Desta forma, o acordo abre portas para o estabelecimento de relações diplomáticas entre ambos os países e cooperação em outras áreas.

    "Delegações de Israel e dos Emirados Árabes Unidos vão se encontrar nas próximas semanas para assinar acordos bilaterais em investimento, turismo, voos diretos, segurança, telecomunicações, tecnologia, energia, saúde, cultura, meio-ambiente, estabelecimento de embaixadas recíprocas e outras áreas de benefício mútuo", publicou a Agência de Notícias Emirates, citando o texto do acordo.

    Ainda de acordo com o documento, Israel renunciou a ideia de expansão anteriormente defendida por Netanyahu após pedido de Trump.

    Ainda segundo o jornal The Jerusalem Post, o acordo foi feito nesta quinta-feira (13) por via telefone entre Trump, Netanyahu e o príncipe herdeiro de Abu Dhabi xeique Mohammed Bin Zayed.

    Relações tensas

    Desde sua criação, em 1948, Israel tem enfrentado problemas nas relações com países do Oriente Médio, muitos dos quais não reconhecem sua soberania e direito de existência.

    Durante o século XX, diversas guerras foram travadas entre os países da região contra Israel, se destacando a Guerra da Independência (1948-1949), a Guerra dos Seis Dias (1967) e a Guerra do Yom Kippur (1973).

    Recentemente, após anunciar planos de aumentar seu território na Cisjordânia, Israel enfrentou duras críticas, inclusive de tradicionais aliados europeus.

    Mais:

    Israel ataca alvos do Hamas em Gaza como resposta a ataques com balões explosivos
    Israel aponta interesse na vacina russa contra COVID-19, caso demonstre eficácia
    Israel testa com êxito sistema de interceptação Arrow-2 dos EUA (VÍDEO)
    Tags:
    Benjamin Netanyahu, EUA, Emirados Árabes, israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar