08:35 10 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    Mundo enfrentando COVID-19 no início de julho (40)
    2151
    Nos siga no

    O Irã apresentou protesto neste sábado (4) na Corte Internacional de Justiça, principal órgão judiciário da ONU, contra manutenção de sanções impostas pelos Estados Unidos durante a pandemia do coronavírus.

    O anúncio foi feito neste sábado (4) pela vice-presidente de assuntos jurídicos iraniana, Laya Joneydi, segundo a agência Mehr, durante visita ao Instituto Pasteur do Irã, um dos principais órgãos de pesquisa do país. 

    "Dadas as sanções inumanas e violatórias dos direitos humanos [...] se apresentou um novo protesto ante a Corte Internacional em relação ao impacto das sanções na propagação da enfermidade COVID-19 causada pelo novo coronavírus", disse Joneydi.

    Teerã denunciou por várias vezes os embargos norte-americanos após os Estados Unidos deixarem de forma unilateral o pacto nuclear de 2018 e voltarem a aplicar sanções contra o Irã. 

    Sanções dificultam combate ao coronavírus

    O Irã acusou, em particular, os EUA de impedirem o fornecimento de equipamentos e medicamentos necessários para combater a COVID-19. Apesar de Teerã ter pedido por várias vezes para as sanções serem relaxadas durante a pandemia, os EUA mantiveram as punições. 

    Até o momento, o país persa registra 235.400 casos da doença e 11.200 mortes. O número de óbitos diários apresenta alta desde meados de junho, com entre 141 e 162 mortes diárias nos últimos cinco dias.

    Tema:
    Mundo enfrentando COVID-19 no início de julho (40)

    Mais:

    Cariocas têm mais medo da COVID-19 ou de dias nublados? (FOTOS)
    Produção brasileira de petróleo em queda: culpa não é só da COVID-19, diz ex-presidente da ANP
    Com mais 1.091 óbitos, Brasil chega a 64.265 mortes pela COVID-19
    Tags:
    sanções, embargo, Corte Internacional de Justiça, ONU, saúde, EUA, Irã, COVID-19, pandemia, novo coronavírus
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar