01:47 23 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    138016
    Nos siga no

    O Ministério da Defesa da Rússia confirmou as informações sobre a "intercepção" executada pelos EUA contra um comboio militar da Rússia perto da cidade síria de Manbij há 14 meses. O fato ocorreu quando a cidade síria estava sob controle triplo.

    Para o Ministério da Defesa russo, trata-se de "um exemplo óbvio da eficácia" da interação entre os militares russos e norte-americanos na região da cidade de Manbij, na Síria, na época do acontecido.

    Assim a entidade russa comentou as declarações do representante especial dos EUA na Síria, James Jeffrey, que contou que, há cerca de um ano, militares norte-americanos "interceptaram" perto de Manbij um general russo. Jeffrey não deu detalhes do ocorrido, somente salientou que "tudo foi resolvido por canais militares".

    O Ministério da Defesa enfatizou que agora as relações entre militares russos e norte-americanos na Síria são absolutamente normais e profissionais.

    "No período em questão, todas as partes que operavam no terreno deviam constantemente coordenar as suas ações para evitar situações de conflito. Por isso, o incidente, relatado pelo representante especial dos EUA, é um exemplo óbvio da eficácia dos canais existentes de interação entre militares de ambos os países na Síria", informa comunicado do ministério russo.

    No entanto os militares russos observaram que a escalada da situação, orquestrada pelos EUA, em torno do patrulhamento na Síria não contribui nem um pouco na estabilização da situação, muito pelo contrário, só atrapalha o trabalho de militares, declarou o Ministério da Defesa da Rússia.

    Mais:

    Rússia lamenta que EUA não mudam posição sobre sua 'presença ilegítima' na Síria
    Reportado envio de comboio militar e logístico dos EUA a províncias sírias ricas em petróleo
    Tags:
    Ministério da Defesa Russo, Rússia, tropas terrestres, EUA, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar