22:23 06 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    137014
    Nos siga no

    General da Guarda Revolucionária do Irã disse que ataques a bases americanas no Iraque são início de megaoperação e não tiveram como meta matar soldados, mas danificar instalações militares dos EUA.

    O chefe da Força Aeroespacial do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica do Irã, Amirali Hajizadeh, também disse que os ataques contra os EUA no Iraque são o início de uma série de ações ofensivas por toda a região, publicou a agência Tasnim.

    O general também afirmou, em rede nacional por transmissão televisiva, que seu país tinha centenas de mísseis prontos para lançamento enquanto executava os ataques, ao passo que Teerã conduziu ataques cibernéticos no mesmo dia contra sistemas de navegação de drones e aviões americanos.

    A única vingança apropriada pelo assassinato do comandante da Força Quds, Qassem Soleimani, seria remover as forças dos EUA do Oriente Médio, segundo Hajizadeh.

    O general também ressaltou que os mísseis foram lançados para danificar as instalações militares dos EUA, e não para matar soldados.

    Ataques a bases americanas

    A fala de Hajizadeh se deu um dia após o Irã ter lançado mais de 20 mísseis contra bases usadas pelos EUA no Iraque.

    O ataque seria uma retaliação pela morte do major-general Qassem Soleimani, assassinado em uma operação militar dos EUA no dia 3 de janeiro.

    Embora os mísseis não tenham causado vítimas fatais entre as tropas americanas, segundo o presidente Trump, a imprensa iraniana noticiou a morte de pelo menos 80 pessoas.

    Mais:

    Ao menos 20 mortes e dezenas de feridos em acidente de ônibus no Irã
    EUA não atacaram Irã por razões de política interna, diz especialista
    Embaixador do Irã na ONU esclarece por que é 'impossível' cooperar com EUA
    Tags:
    ataques, Irã, EUA, mísseis
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar