15:32 19 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    16444
    Nos siga no

    Manifestantes iraquianos atacaram e incendiaram ontem (31) a cerca exterior da Embaixada dos EUA na capital iraquiana, Bagdá, durante os protestos contra os recentes ataques aéreos que tiveram como alvo instalações do movimento Hezbollah no Iraque e Síria.

    O líder supremo do país persa, aiatolá Ali Khamenei, condenou os ataques aéreos dos EUA contra o grupo militante no Iraque.

    Olhem para aquilo que os EUA estão fazendo no Iraque e na Síria. Eles estão se vingando de Hashd al-Shaabi [Forças de Mobilização Popular iraquianas] por eles terem derrotado o Daesh. Desde que eles enfraqueceram e destruíram o Daesh – criado pelos EUA – eles estão se vingando. Eu, o Governo e a nação iranianos condenamos firmemente a maldade dos EUA.

    O líder supremo acrescentou que se alguém ameaçar o Irã, "vamos confrontá-los sem hesitações e atacá-los".

    ​Se a República Islâmica decidir confrontar e combater, nós vamos fazê-lo inequivocamente. Não buscamos guerras, mas defendemos veementemente os interesses da nação iraniana, sua dignidade e glória. Se alguém ameaçar isso, vamos confrontá-los e atacá-los sem hesitações.

    Estas declarações aparecem um dia após os manifestantes iraquianos terem atacado e incendiado a cerca exterior da Embaixada dos EUA em Bagdá em reposta a ataques aéreos realizados contra as instalações do Kata'ib Hezbollah na Síria e no Iraque, que deixaram 25 pessoas mortas e 51 feridas, informaram em um comunicado as Forças de Mobilização Popular do Iraque.

    Mais:

    Trump afirma que Irã está por trás de ataques contra embaixada dos EUA em Bagdá
    Rússia e China devem sancionar o Irã ao invés de realizar exercícios, diz oficial dos EUA
    Países islâmicos devem se unir contra 'terror econômico' dos EUA, afirma presidente do Irã
    Tags:
    Aiatolá Ali Khamenei, manifestações, Embaixada dos EUA, Iraque, Irã, EUA, ataque aéreo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar