05:35 18 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Exército sírio

    Dois militares turcos foram mortos pelo Exército sírio, de acordo com Erdogan

    © Sputnik . Morad Saeed
    Oriente Médio e África
    URL curta
    6193
    Nos siga no

    Dois soldados turcos foram mortos na área de Manbij pelo Exército do governo sírio, disse o presidente turco Recep Tayyip Erdogan.

    No dia anterior foi noticiada a morte de mais dois soldados turcos durante um ataque dos curdos, mas desta vez, segundo salienta o presidente turco, a culpa é do Exército governamental da Síria.

    "Respondemos com fogo intenso e os fizemos pagar por isso", disse ele, citado pelo canal de televisão turco NTV.

    Manbij é uma cidade importante no norte da Síria, na província de Aleppo, e até recentemente era patrulhada por tropas americanas e controlada pelos curdos. Agora nela entraram as forças governamentais sírias e a polícia militar russa assumiu as patrulhas.

    Operação turca na Síria

    A Turquia anunciou o lançamento da operação Fonte de Paz no nordeste da Síria em 9 de outubro. De acordo com Erdogan, o objetivo de Ancara é criar uma zona tampão, que deve se tornar um cinturão de proteção para a fronteira turca.

    No domingo (13), Damasco, na sequência de um acordo com as forças curdas, enviou tropas para o norte da Síria para se opor ao Exército turco.

    Na véspera, o Ministério da Defesa informou que o Exército sírio tinha assumido o controlo de Manbij e da área circundante. Ao mesmo tempo, os militares dos EUA deixaram suas bases nas proximidades de Dadat e Umm Mial se deslocando em direção à fronteira sírio-iraquiana.

    Mais:

    Turquia registra 2ª baixa em operação na Síria, diz Ministério da Defesa
    Secretário de Defesa dos EUA alerta Turquia sobre 'sérias consequências' pela operação na Síria
    Trump aponta '3 opções' dos EUA para responder à ação da Turquia na Síria
    Tags:
    acusação, posições, bombardeio, Exército Sírio, Recep Tayyip Erdogan
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar