00:06 16 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Stand da Saudi Aramco, companhia petrolífera da Arábia Saudita, na feira do mercado energético Petrotech 2016, em Manama, Bahrein

    Produção de petróleo da Saudi Aramco cai para metade após ataque de drones

    © REUTERS / Hamad I Mohammed
    Oriente Médio e África
    URL curta
    9267
    Nos siga no

    Os ataques de drones a duas plantas da empresa Saudi Aramco levaram a cortes na produção de petróleo de 5,7 milhões de barris por dia, cerca de metade da produção total da empresa.

    A informação foi divulgada neste sábado pelo ministro da energia da Arábia Saudita, príncipe Abdulaziz bin Salman, citado pela Agência de Imprensa Saudita (SPA).

    O príncipe Abdulaziz bin Salman disse que os ataques levaram à interrupção de cerca de 5,7 milhões de barris de petróleo bruto ou cerca de 50% da produção total da empresa, segundo o SPA.

    O ministro explicou que os ataques também paralisaram a produção de gás associado, estimada em 2 bilhões de pés cúbicos por dia, usada para produzir 700 mil barris de gás natural liquefeito.

    O príncipe Abdulaziz bin Salman, no entanto, enfatizou que esse ataque não afetou o fornecimento de combustível ao mercado local, nem resultou em ferimentos dos trabalhadores. Segundo SPA, a empresa ainda está em processo de avaliação do impacto.

    O ministro da Energia da Arábia Saudita também enfatizou, citado pelo SPA, que essa sabotagem é uma extensão dos recentes ataques dirigidos a instalações civis e de petróleo no Golfo Árabe, acrescentando que esses ataques também visam a segurança global do fornecimento de petróleo .

    A Saudi Aramco é a gigante estatal de petróleo que opera e controla a maioria da produção de refinarias e campos de petróleo do reino.

    De acordo com um comunicado das forças armadas houthis, transmitido pelo canal de TV Almasirah, o grupo atacou as refinarias de petróleo de Abqaiq e Khurais com 10 drones, a maior operação houthi no território saudita até hoje, segundo um porta-voz.

    O príncipe herdeiro Mohammed bin Salman disse ao presidente dos EUA, Donald Trump, durante o telefonema neste sábado, que "o reino está disposto e capaz de enfrentar e lidar com essa agressão terrorista".

    Os rebeldes houthis revindicaram os ataques.

    Enquanto isso, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, culpou o Irã pelos recentes ataques de drones.

    Mais:

    Coalizão saudita destrói 2 drones lançados do Iêmen por Houthis
    Houthis afirmam ter matado e ferido várias pessoas em ataque a aeroporto saudita
    Drone dos EUA teria sido derrubado pelos houthis no Iêmen, afirmam fontes
    Tags:
    Arábia Saudita, Houthis, drones
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar