13:34 11 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Emblema que avisa sobre perigo de radioatividade

    Substância radioativa usada em armas nucleares é encontrada em carro na Turquia

    © AP Photo / Ted S. Warren
    Oriente Médio e África
    URL curta
    210
    Nos siga no

    Policiais da província turca de Bolu, no oeste do país, encontraram 18 gramas de califórnio, uma substância radioativa usada na fabricação de ogivas nucleares, diz um comunicado da administração provincial de Bolu.

    Policiais pararam um carro na província de Bolu, perto do Parque Florestal Ataturk. Refere-se que neste caso foram detidas cinco pessoas e que a investigação está em curso.

    "Durante a busca, foram apreendidos 18,01 gramas de califórnio, que é usado em ogivas de armas nucleares e usinas nucleares”, informam as autoridades locais.

    Esta substância, cuja importação, transporte e armazenamento requer permissão especial, foi enviada ao Conselho Turco de Energia Nuclear para estudo. O custo da substância está estimado em 72 milhões de dólares.

    'Sonho de terrorista'

    Anteriormente documentos ultrassecretos do laboratório Porton Down, que realiza pesquisa de armas químicas, foram encontrados em uma lata de lixo em um estacionamento no norte de Londres. 

    Ministério da Defesa do Reino Unido deu início a uma investigação ao serem encontradas em uma lixeira milhares de páginas contendo informações pessoais, dados sobre equipamentos de segurança, detalhes da patrulha da polícia pelo perímetro do laboratório e senha de acesso aos computadores do laboratório. De acordo com o Daily Star, um especialista em inteligência chamou os documentos de "sonho de terrorista".

    Mais:

    Hackers notificam planos de Kiev de contaminar Donbass com substâncias radioativas
    Potência radioativa: explore por dentro a usina nuclear russa de Kola
    Água da usina nuclear de Fukushima permanece radioativa
    Tags:
    investigação, carro, radioatividade, substância, Turquia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar