12:51 24 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    324
    Nos siga no

    O primeiro-ministro iraquiano, Adel Abdul Mahdi, decretou nesta segunda-feira (1) um forte bloqueio dos poderes das milícias xiitas, apoiadas pelo Irã, e as forçou a se tornarem mais próximas das Forças Armadas formais.

    As milícias, que ajudaram as forças da coalizão internacional lideradas pelos EUA a expulsar terroristas do Daesh, por meio de um grupo conhecido como Forças de Mobilização Popular, têm ampla influência na política iraquiana.

    Uma aliança eleitoral formada por líderes de milícias e combatentes ficou em segundo lugar na  eleição parlamentar de 2018.

    As Forças de Mobilização Popular já se reportam ao primeiro-ministro, que é o comandante-chefe das forças armadas do Iraque, mas o decreto de Abdul Mahdi obriga os grupos que compõem o grupo a escolher entre a atividade política e paramilitar. A decisão precisa ser tomada até o fim 31 de julho.

    A ordem veio duas semanas depois de três morteiros terem caído na base militar de Balad, o primeiro de vários ataques não identificados nos últimos dias em bases no Iraque que hospedam forças dos EUA.

    Autoridades locais culparam as milícias xiitas por um dos incidentes, mas o Irã não comentou.

    * Daesh (também conhecido como Estado Islâmico), assim como a al-Qaeda, são grupos terroristas ilegais na Rússia e em muitos outros países.

    Mais:

    EUA enviam mais caças furtivos ao golfo Pérsico em meio ao aumento das tensões com Irã
    Irã aumentará enriquecimento de urânio em breve, diz site
    Será que mecanismo financeiro da Europa poderia lidar com sanções dos EUA contra Irã?
    Moscou lamenta que Irã tenha excedido o limite de urânio enriquecido
    ONU pede que Irã siga acordo nuclear por 'benefícios econômicos'
    Tags:
    Iraque
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar