06:19 24 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Presidente dos EUA, Donald Trump, e assessor de Segurança Nacional, John Bolton, na cúpula da OTAN em Bruxelas

    Trump diz que aplicará novas sanções contra o Irã e que ação militar ainda é opção

    © Sputnik / Aleksei Vitvitsky
    Oriente Médio e África
    URL curta
    16111

    O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse neste sábado (21) que aplicará novas sanções contra o Irã e que uma ação militar ainda é possível.

    O objetivo seria impedir Teerã de desenvolver armas nucleares.

    Trump, que conversou com repórteres na Casa Branca, fez seus comentários depois de recentemente ter cancelado um ataque militar contra o Irã para retaliar a derrubada de um drone norte-americano.

    "Estamos aplicando sanções adicionais ao Irã", disse Trump. "Em alguns casos, estamos indo devagar, mas em outros casos estamos nos movendo rapidamente."

    O presidente disse que a ação militar "está sempre sobre a mesa" contra o Irã.

    Mas Trump também indicou que estava aberto a reverter a escalada de tensão, acrescentando que estava disposto a rapidamente chegar a um acordo com o Irã que, segundo ele, melhoraria a economia enfraquecida do país.

    "Vamos chamá-lo de 'Vamos tornar o Irã grande novamente'", disse o republicano, fazendo uma adaptação de seu próprio slogan de campanha de 2016.

    Trump falou à imprensa enquanto se preparava para deixar Washington rumo ao retiro presidencial Camp David, onde ele disse que estaria deliberando sobre o Irã.

    Mais:

    EUA negam informação sobre aviso dos planos de atacar Irã, confirmando posição iraniana
    'Disparar uma bala contra o Irã vai pegar fogo aos interesses americanos', diz general iraniano
    Trump diz que não quer guerra com Irã, mas prevê 'destruição' se isso ocorrer
    Trump 'agonizou' sobre planos de ataque dos EUA ao Irã, afirma senador americano
    Irã promete responder com firmeza qualquer agressão dos EUA
    Tags:
    Estados Unidos, Irã, Donald Trump
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar