07:53 28 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    320
    Nos siga no

    O Hamas, que controla a Faixa de Gaza, disse neste domingo (9) que condena declarações recentes do embaixador dos EUA em Tel Aviv, David Friedman, sobre o direito de Israel de tomar parte da Cisjordânia.

    No sábado, Friedman disse ao jornal New York Times que Israel tinha o direito de anexar parcialmente a Cisjordânia "sob certas circunstâncias".

    "As declarações do embaixador dos Estados Unidos estão totalmente em linha com a visão de extrema direita de Israel[...] e refletem o desrespeito dos Estados Unidos com as nações árabes", afirmou o Hamas em comunicado.

    A declaração apontou que as alegações de Friedman "destacam o envolvimento dos EUA na opressão israelense e atacam a questão palestina".

    Enquanto isso, o secretário-geral da Organização de Libertação da Palestina, Saeb Erekat, também criticou as declarações do embaixador, chamando-o de "extremo embaixador dos colonos".

    O governo israelense se recusa a reconhecer a Palestina como uma entidade política e diplomática independente e continua a construir assentamentos em áreas ocupadas de seu território, apesar das objeções da Organização das Nações Unidas (ONU).

    A situação piorou em maio de 2018, depois que os Estados Unidos transferiram sua embaixada de Tel Aviv para Jerusalém e reconheceram a cidade sagrada como a capital israelense. Depois disso, a Palestina rejeitou os esforços de mediação unilateral de Washington no processo de paz com Israel.

    Mais:

    Banda islandesa pode ser punida por mostrar bandeira palestina durante Eurovisão em Israel
    'Acordo do século': plano dos EUA para resolver conflito israelo-palestino
    Hezbollah adverte para plano dos EUA que quer acabar com a causa palestina
    Acordo do século para quem? Palestina rejeita paz sugerida pelos EUA, diz diplomata
    Tags:
    EUA, Palestina, Hamas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar