09:01 24 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Bombardeiro estratégico B-52 da Força Aérea dos EUA

    Bombardeiro estratégico B-52 dos EUA chega à base aérea no Qatar para 'conter Irã'

    © AP Photo/ Mindaugas Kulbis
    Oriente Médio e África
    URL curta
    16514

    O Comando Central da Força Aérea dos EUA informou sobre a chegada de um bombardeiro estratégico B-52 à base aérea de Al Udeid no Qatar, no âmbito da implantação do grupo operacional de bombardeiros no Oriente Médio para proteção dos interesses norte-americanos na região.

    "O bombardeiro estratégico B-52 Stratofortress que partiu da base aérea de Barksdale, no Louisiana, chegou à base de Al Udeid ontem, 9 de maio", informa o comunicado no site oficial do comando.

    De acordo com o comunicado, "o avião integra o grupo operacional de bombardeiros deslocado para a zona de responsabilidade do Comando Central dos EUA para proteção das forças e dos interesses [americanos] na região".

    O Pentágono publica novas imagens do bombardeiro estratégico B-52, capaz de portar armas nucleares, rumo ao Oriente Médio, à base aérea de Al Udeid no Qatar, como parte da resposta da Administração Trump a uma "possível ameaça" do Irã.

    Na terça-feira (7) o Pentágono anunciou o envio de vários bombardeiros estratégicos ao Oriente Médio em resposta a uma "possível ameaça" por parte do Irã contra as forças americanas e dos seus aliados na região.

    As tensões aumentaram após afirmações das autoridades iranianas de que tinham intenção de suspender algumas das suas obrigações do acordo nuclear (JCPOA). Esta semana o presidente do Irã, Hassam Rouhani, notificou que Teerã daria 60 dias aos países europeus para retornar a mesa de negociações e garantir que os interesses do Irã previstos no acordo sejam protegidos. Informação foi enviada a vários países europeus como a Inglaterra, França, Alemanha, China e a Rússia.

    Mais:

    Irã quer trazer acordo nuclear 'de volta aos trilhos', diz Organização de Energia Atômica
    Mídia: Teerã diz que sairá do acordo nuclear gradualmente
    Macron: se Irã abandonar acordo nuclear será culpa dos EUA
    Tags:
    contenção, bombardeiro estratégico, Comando Central das Forças Aéreas dos Estados Unidos, Irã, Catar, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar