09:25 17 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Logo da OPEP. (Arquivo)

    Irã: 'Arábia Saudita e Emirados Árabes transformaram a OPEP em um joguete dos EUA'

    © AFP 2018 / Ryad Kramdi
    Oriente Médio e África
    URL curta
    580

    O representante iraniano na Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) acusou a Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos de assumirem a parte do Irã nas exportações de petróleo.

    "A Arábia Saudita e os Emirados Árabes Unidos estão transformando a Opep em uma ferramenta para os EUA e, consequentemente, a organização não tem muito crédito", disse o governador iraniano da Opep, Hossein Kazempour Ardebili, à agência de notícias Sana.

    O governo do presidente dos EUA, Donald Trump, está tentando reduzir as exportações de petróleo de Teerã a zero, enquanto Washington introduz novas sanções contra a nação após abandonar unilateralmente o acordo nuclear assinado pela Rússia, China, Irã e vários outros Estados europeus.

    No começo do mês passado, o Irã disse à OPEP que nenhum país-membro deveria retirar parte das exportações depois que a Arábia Saudita ofereceu mais petróleo para compensar o corte nas vendas do produto iraniano pelos Estados Unidos, informou o Middle East Eye.

    Em junho, a OPEP concordou em aumentar a produção de petróleo em cerca de um milhão de barris por dia — um movimento fortemente contrário ao posicionamento do Irã.

    Enquanto Washington introduz mais sanções contra Teerã, os principais compradores de petróleo do país, China e Índia, se distanciaram do Irã, forçando a produção de petróleo nacional ao seu ponto mais baixo desde 2016, de acordo com dados da Agência Internacional de Energia.

    Em uma entrevista para Sana, Ardebili acusou a Arábia Saudita e a Rússia — o último país não-membro da Opep — de tomar o mercado de petróleo como "refém", aumentando a produção de petróleo.

    "A Rússia e a Arábia Saudita alegam que buscam equilibrar o mercado global de petróleo, mas estão tentando assumir parte da fatia do Irã", disse Ardebili. "Os esforços de Trump para cortar o acesso do Irã ao mercado global de petróleo levaram a Rússia e a Arábia Saudita a tomar como reféns o mercado de petróleo (…)".

    O representante iraniano da OPEP atacou um acordo de 2017 assinado pela aliança, dizendo que já havia fracassado, uma vez que alguns produtores-chave — incluindo Iraque, Argélia e Nigéria — estavam violando o acordo e produzindo níveis muito mais altos do que os acordados no texto.

    Esses e outros fatores poderiam facilmente levar a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) a estocar recursos petrolíferos adicionais, algo que o acordo da OPEP de 2017 buscava evitar, já que a prática poderia rapidamente derrubar os preços globais do petróleo, disse Ardebili, citado pela PressTV.

    Tags:
    Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), SANA, Agência Internacional de Energia, Organização dos Países Exportadores de Petróleo, Middle East Eye, Hossein Kazempour Ardebili, Donald Trump, Iraque, Nigéria, Argélia, Índia, China, Rússia, Teerã, Emirados Árabes, Irã, Arábia Saudita
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik