16:56 16 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Militar estadunidense vigia área em veículo blindado na Síria

    Senador: planos de Washington de posicionar sistemas antimíssil na Síria são provocação

    © AP Photo / APTV
    Oriente Médio e África
    URL curta
    6182

    Se a informação sobre as intenções dos EUA de posicionarem sistemas de defesa antimíssil no norte da Síria for verdade, as ações dos EUA serão consideradas como provocação, bem como no caso de encenação de um ataque químico na Síria, afirmou o senador russo Franz Klintsevich.

    "Se os norte-americanos realmente fizerem tentativas de posicionar seus sistemas de defesa antimíssil na Síria, estas devem ser consideradas inequivocamente como uma provocação", disse o senador.

    De acordo com ele, esse passo está diretamente relacionado com a preparação pelos terroristas de uma encenação de ataque químico na Síria, que deve servir como pretexto para um ataque dos EUA e seus aliados contra as forças governamentais sírias.

    Segundo Klintsevich, os EUA não têm nenhuma necessidade militar de posicionar seus sistemas de defesa antimíssil no território sírio.

    "O objetivo desse intento é agravar a situação na Síria, mostrando a todo o mundo que os EUA não planejam retirar-se do país", opinou o senador russo.

    Anteriormente, a edição turca Yeni Safak informou que o Pentágono se prepara para posicionar sistemas de defesa antimíssil em algumas cidades no norte da Síria. Segundo a edição, os EUA já completaram os preparativos para a implantação de três sistemas modernizados de radar nas áreas sírias de Tel Baydar, Kobani e Sarrin, tendo ainda posicionado 13 radares móveis e fixos para vigilância e monitoramento.

    Mais:

    Forças Armadas russas incorporam mais um regimento de sistemas S-400
    Divisão de S-400 russos executa exercícios contra ataque inimigo no Báltico
    Assistente de Pompeo diz que venda do S-400 para Turquia seria 'catástrofe' para os EUA
    Tags:
    armas, defesa antimísseis, Frants Klintsevich, Síria, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik