20:06 19 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Um soldado do Exército Árabe Sírio em um posto de observação na linha de frente na aldeia al-Kom da província de Quneitra, na Síria

    Deputado: libertação de territórios sírios é continuação das negociações Putin-Trump

    © Sputnik / Valeriy Melnikov
    Oriente Médio e África
    URL curta
    190

    A libertação dos territórios sírios dos terroristas com ajuda das Forças Armadas da Rússia e do exército sírio é uma continuação das negociações dos presidentes da Rússia e EUA, que aconteceram previamente em Helsinque, declarou Yury Shvytkin, vice-presidente do Comitê de Defesa da Duma de Estado (câmara baixa do parlamento russo).

    Anteriormente, o coronel-general Sergei Rudskoi, chefe do Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia, disse que Damasco, com apoio da Força Aeroespacial da Rússia, estabeleceu controle sobre os territórios das províncias de As-Suwayda, Daraa e Quneitra. Além disso, na quinta-feira (2), as tropas de paz da ONU, acompanhadas pela polícia militar russa, realizaram a primeira patrulha em seis anos na região que separa Síria e Israel nas Colinas de Golã.

    "Esta é a continuação da conversa de alto nível que ocorreu entre Trump e Vladimir Putin nesse sentido […] Isso se tornou possível claramente graças aos esforços, em primeiro lugar, do agrupamento das Forças Armadas da Federação da Rússia na Síria e, evidentemente, em conjunto com o Exército Árabe Sírio. Isso se tornou possível graças a ações profissionais e competentes, assim como a uma compreensão da situação emergente. E, é claro, a libertação desses territórios tornou posteriormente possível propor que as forças de paz da ONU realizassem ações apropriadas nesta parte", disse Shvytkin à Sputnik. 

    Ele também observou que um componente importante de qualquer ação no território da Síria é a prevenção de uma catástrofe humanitária entre a população local. Portanto, a Rússia sempre convoca todos os países, inclusive os EUA e toda a coalizão, para participar das operações de manutenção da paz. 

    As primeiras negociações de grande escala entre Trump e Putin aconteceram em 16 de julho em Helsinque. Depois delas, Putin anunciou que a Rússia e os EUA poderiam assumir a liderança na resolução da crise na Síria, organizando cooperação para o retorno dos refugiados à sua terra natal.

    Segundo Putin, um grande número de refugiados sírios está concentrado agora na Turquia, no Líbano e na Jordânia. De acordo com ele, se os refugiados receberem ajuda para voltar para casa, a pressão migratória sobre os países da União Europeia diminuirá significativamente.

    Mais:

    Diplomata russo acusa órgão da ONU de distorcer fatos para prejudicar Síria
    Israel: frente síria será mais tranquila se governança de Assad for restaurada
    Sistema de defesa da Rússia derruba drone inimigo na Síria
    Tags:
    tropas de paz, negociações, libertação, ONU, Exército Sírio, Força Aérea da Rússia, Forças Armadas da Rússia, Donald Trump, Vladimir Putin, Quneitra, Daraa, Suwayda, EUA, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik