03:44 14 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Fotografias dos jornalistas russos Kirill Radchenko, Aleksandr Rastorguev e Orkhan Dzhemal assassinados na República Centro-Africana

    Mídia revela quem chacinou jornalistas na República Centro-Africana

    © Sputnik/ Yevgenia
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0 01

    Três jornalistas russos, que estavam filmando um documentário na República Centro-Africana (RCA), foram assassinados por dez pessoas que "vestiam turbantes" e "falavam árabe", revela a mídia do país africano.

    "Os agentes das forças de segurança pediram para que não saíssem, pois já estava muito tarde. Mas eles insistiram e saíram sozinhos", declarou o funcionário local, Marcelin Yoyo, citado pelo Radio Ndeke Luka.

    De acordo com ele, "todos os malfeitores vestiam turbantes e falavam apenas árabe".

    Segundo informa a missão da ONU no país africano, os corpos dos três jornalistas mortos foram encontrados em um carro abandonado à distância de 33 quilômetros ao norte da cidade de Sibut.

    Possíveis motivos do assassinato

    Vários especialistas supuseram qual poderia ter sido a razão para matar esses três jornalistas.

    Por exemplo, o especialista russo em assuntos africanos, Dmitry Bondarenko, afirmou que a situação na República Centro-Africana continua sendo grave já durante muitos anos. 

    "Os motivos podem ser completamente diferentes, mas a RCA é o país onde é possível morrer sem nenhuma razão, e isso é um fato", declarou.

    Ademais, ele adicionou que até o início da investigação, não se pode excluir as possibilidades de que possa ter sido uma tentativa de roubo, um tiro acidental ou que os jornalistas poderiam ter sido confundidos com outras pessoas. Em sua opinião, é possível que os agressores não soubessem que os três homens no carro fossem jornalistas da Rússia.

    Ao mesmo tempo, outro especialista russo em assuntos da África, Vasily Filippov, também apoia a versão sobre um assalto.

    "Para que eles precisam de jornalistas russos? É mais provável que esta fosse uma tentativa banal de tirar vantagem de europeus. Quando se derrama sangue no país, é mais fácil organizar um assassinato", opina.

    Filippov também duvidou da possibilidade de que o incidente baseia-se em motivos religiosos ou raciais.

    Previamente, foi informado que a embaixada da Rússia na República Centro-Africana (RCA) começou a tratar do translado dos corpos dos jornalistas assassinados no país, o que será feito nos próximos dias.

    Anteriormente, o Ministério das Relações Exteriores da Rússia informou que em 30 de julho na República Centro-Africana morreram três pessoas que tinham somente documentos de jornalista concedidos em nome de Kirill Radchenko, Aleksandr Rastorguev e Orkham Dzhemal. Atualmente, conforme a chancelaria russa, seus corpos já estão na capital do país, Bangui. O Comitê de Investigação da Rússia iniciou um caso penal sobre o assunto.

    Mais:

    Mídia: 3 supostos jornalistas russos são mortos na República Centro-Africana
    Sindicato do jornalistas de Minas condena prisão de editor da Sputnik
    Associação Nacional de Rifles pede por 'agressão física contra jornalistas' nos EUA
    Putin apela a Poroshenko para que liberte jornalistas russos detidos na Ucrânia
    Tags:
    atacante, jornalistas russos, roubo, assassinato, investigação, República Centro-Africana
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik