21:29 20 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Central Nuclear de Bushehr, Irã

    Pompeo acusa Irã de usar acordo internacional como manobra para produzir armas nucleares

    © Sputnik / Valeriy Melnikov
    Oriente Médio e África
    URL curta
    203

    Washington entende que o Irã usou o Plano de Ação Conjunto Global (JCPOA) como manobra para obter armas nucleares, disse o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, nesta terça-feira.

    "O povo americano concluiu que JCPOA não fazia sentido, que era realmente um caminho para o Irã desenvolver uma arma nuclear. Estamos tentando impedir isso", disse Pompeo em uma entrevista à rede de televisão dos Emirados Árabes Unidos, Sky News Arabia.

    Ele acrescentou que os EUA vão cooperar com os parceiros europeus para desenvolver um novo plano para por fim ao programa nuclear iraniano.

    O chefe da diplomacia norte-americana também enfatizou que os EUA trabalham para garantir que outros países cumpram as sanções impostas ao Irã.

    Em maio passado, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou a retirada de seu país do acordo nuclear assinado em 2015 pelo Irã, Rússia, Estados Unidos, Reino Unido, China, França, Alemanha e União Européia (UE), que estabelece limitações ao programa nuclear iraniano em troca do levantamento das sanções internacionais.

    Washington também ordenou que as sanções contra Teerã sejam restabelecidas "ao máximo", e não descartou a aplicação de restrições contra empresas que realizam negócios com o Irã.

    Mais:

    Vice-presidente: Irã vai vender tanto petróleo quanto puder, apesar de sanções dos EUA
    Desertor alega que Coreia do Norte pediu US$ 1 bi a Israel para não vender mísseis ao Irã
    Irã convoca embaixador holandês a Teerã em protesto contra deportação de diplomatas
    Irã: EUA estão isolados no debate sobre programa nuclear iraniano
    Irã enaltece Macron por tentar resgatar acordo nuclear
    Tags:
    Plano Conjunto de Ação Integral (JCPOA), Mike Pompeo, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik