12:56 24 Abril 2019
Ouvir Rádio
    Bandeira de Israel em Jerusalém

    Israel rechaça decisão da ONU sobre investigação internacional de massacre de palestinos

    © Sputnik / Kristina Afanasieva
    Oriente Médio e África
    URL curta
    22311

    O Ministério de Relações Exteriores de Israel anunciou nesta sexta-feira (18) que rejeita a decisão do Conselho de Direitos Humanos da ONU de conduzir uma investigação internacional sobre os eventos na Faixa de Gaza e fará um teste com seu próprio sistema legal.

    A declaração foi divulgada após o resultado da sessão especial do Conselho de Direitos Humanos, que discutiu a morte de mais de cem palestinos pelas forças israelenses durante os protestos contra a inauguração da embaixada dos EUA em Jerusalém. 

    "Israel rejeita completamente a decisão do Conselho de Direitos Humanos da ONU, que mais uma vez provou ser um órgão com uma maioria anti-israelense automática, onde a hipocrisia e o absurdo prevalecem. Os resultados do trabalho da comissão investigativa são conhecidos de antemão e estão contidos no próprio texto da resolução ", diz o documento.

    A chancelaria de Israel sustenta que o verdadeiro propósito da comissão não é esclarecer a verdade, mas "demonizar o Estado judeu e limitar seu direito à autodefesa".

    "O Estado de Israel tem um sistema judicial independente e profissional, que já começou a verificação dos eventos em Gaza […] e rejeita a tentativa de impor um mecanismo de investigação externa", diz o Ministério das Relações Exteriores.

    Os protestos perto da Faixa de Gaza da segunda-feira (15) ocorreram na data em que se comemora os 70 anos da formação de Israel. No mesmo dia os EUA realizaram u cerimônia de inauguração que marca a mudança da embaixada norte-americana em Israel de Tel Aviv para Jerusalém. 

    Segundo as últimas informações, 61 palestinos foram mortos nos confrontos e mais de 2,7 mil ficaram feridos. O líder palestino Mahmoud Abbas, como resultado do derramamento de sangue da segunda-feira (14), declarou um luto de três dias. 

    Mais:

    Rússia está pronta para sediar encontro entre Israel e Palestina
    Independente do acordo de paz com Palestina, Jerusalém será capital de Israel
    Enviado da Palestina acusa Israel de ter ligações com terroristas da Frente al-Nusra
    Autoridade Palestina critica Hamas por protestos em Gaza e recebe elogio de Israel
    Tags:
    conflito, morte, massacre, Conselho de Direitos Humanos da ONU, ONU, Palestina, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar