23:15 17 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Iraniana coberta passa por muro que retrata o revolucionário aiatolá Khomeini e a bandeira iraniana nacional, pintada na parede da antiga embaixada dos EUA, em Teerã, Irã

    'Acordo nuclear está morto': qual a chance de EUA visarem mudança do governo iraniano?

    © AP Photo / Ebrahim Noroozi
    Oriente Médio e África
    URL curta
    EUA se retiram do acordo nuclear com Irã (32)
    652

    Donald Trump anunciou a retirada dos EUA do acordo nuclear de 2015, assinado entre o Irã e os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança, junto com a Alemanha. O presidente do American Iranian Council (AIC), Hooshang Amirahmadi, concedeu entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik para dar mais informações sobre o assunto.

    Há preocupações de que a decisão dos EUA possa criar uma barreira entre seus tradicionais aliados europeus, particularmente devido aos receios de que as sanções norte-americanas possam ter um impacto sobre as empresas europeias que fazem negócios com o Irã. Perguntado sobre quais seriam as consequências e que opções tem a Europa para combatê-las, Amirahmadi respondeu que após a saída dos EUA, "o acordo nuclear está morto".

    "Depois da saída dos EUA, [acordo] está morto agora. E os europeus, mesmo quando os norte-americanos estavam decidindo se cumpririam suas obrigações, ao menos não por completo, sem os Estados Unidos eu não acredito que os europeus estejam preparados para trabalhar com o Irã."

    "Eu acredito que eles vão gradualmente se retirar do Irã e aguardar o próximo passo entre EUA e Irã. Essa é a minha opinião, na verdade, no anúncio que o presidente da França, o chanceler da Alemanha e o primeiro-ministro da Inglaterra emitiram ontem (9), reiteraram que a Europa quer ficar, mas com condições próprias. Portanto, estas condições mataram o JCPOA em primeiro lugar", comentou Amirahmadi.

    As preocupações agora estão focadas em como a decisão de Trump poderia afetar segurança no Oriente Médio. De acordo com o analista entrevistado, Irã não seria capaz de atacar Israel por não ser um país suicida. No entanto, na noite passada, ambos os países trocaram ataques, agravando, assim, a situação na região.

    Amirahmadi afirma que com certeza acredita nas suposições de que o presidente Trump, o secretário de Estado, Mike Pompeo, e o conselheiro de Segurança Nacional, John Bolton, estão tentando mudar governo de Teerã. E que de fato a mudança começou assim que Trump deixou o JCPOA.

    O especialista conclui dizendo que "acredita que os EUA estão fartos do governo iraniano e, infelizmente, Netanyahu tem uma tremenda influência sobre Trump e agora ele está ditando as leis […] acredito que a governança em Washington apoia mudança do governo de Teerã".

    Tema:
    EUA se retiram do acordo nuclear com Irã (32)

    Mais:

    Parlamentar: ataque a Irã na Síria é ação planejada após saída dos EUA do acordo nuclear
    Senador russo: Trump não mudará postura sobre acordo iraniano
    EUA deixam acordo iraniano e preço do petróleo dispara
    França diz que acordo com Irã 'não morreu' e decisão de Trump aumenta risco de guerra
    Tags:
    EUA, programa nuclear iraniano, acordo nuclear, Benjamin Netanyahu, John Bolton, Mike Pompeo, Donald Trump, Teerã, Oriente Médio, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik