00:06 25 Abril 2018
Ouvir Rádio
    Civis deixando a região de Ghouta Oriental através de um corredor humanitário

    Militares russos ajudam civis sírios a saírem de Ghouta Oriental (VÍDEO)

    © Sputnik / Mikhail Alaeddin
    Oriente Médio e África
    URL curta
    6171

    Militares russos, juntamente com seus colegas sírios, estão ajudando os civis a saírem da região de Ghouta Oriental, que continua estando ocupada pelos militantes. Um representante do exército sírio comentou a situação à Sputnik.

    Com o aumento do número de pessoas desejando abandonar Ghouta Oriental, os militares russos e sírios tomaram medidas adicionais para garantir a segurança. Os refugiados recebem abrigo, alimentos, assistência médica e tudo o que é necessário para uma vida normal.

    "Os militares russos estão desempenhando um papel muito importante, realizando o controle de um número inesperadamente alto de refugiados saindo de Ghouta [Oriental]. A saída em massa de Ghouta é resultado do sucesso que o exército sírio teve no campo de batalha", disse à Sputnik Árabe um tenente-coronel do exército do país árabe.

    A agência também falou com o soldado russo Vitaly que está servindo no momento em Ghouta Oriental. Ele afirma estar contente por cumprir sua tarefa ajudando os civis, milhares dos quais já conseguiram sair de sob controle dos terroristas.

    Ghouta Oriental foi ocupada pelos militantes em 2012. De acordo com estatísticas do exército sírio, na área estão entre 10 e 12 mil militantes.

    Atualmente, a região tem dois corredores humanitários funcionando para garantir a saída de civis e militantes. De acordo com o Centro Russo de Reconciliação na Síria, mais de 68.000 pessoas saíram de Ghouta Oriental desde a abertura de corredores humanitários.

    Mais:

    Damasco se prepara para contra-atacar EUA, diz analista
    Moscou adverte Washington para não efetuar ataques na Síria
    Rússia espera que Ocidente ponha fim ao flerte com terroristas na Síria
    Tags:
    evacuação, ajuda, refugiados, Ghouta Oriental, Síria, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik