19:17 21 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Afrin, uma das principais cidades curdas da Síria

    Representante das forças curdas: tropas sírias entram em Afrin

    © REUTERS / Mahmoud Hebbo
    Oriente Médio e África
    URL curta
    471
    Nos siga no

    O representante das Unidades de Proteção Popular (YPG) curdas em Afrin, Brusk Haseke, falou à Sputnik que o exército sírio entrou em Afrin. As Forças Armadas da Síria, porém, ainda não confirmaram as informações.

    "Sim, é verdade. Hoje, o exército governamental sírio entrou em Afrin para que juntamente com as foças das YPG defendesse a cidade das tropas turcas e do Exército Livre da Síria. As forças governamentais entraram para ajudar o povo de Afrin".

    O representante, porém, não especificou o número de soldados.

    "Não podemos prestar dados sobre o número dos que entraram em Afrin. É informação militar", explicou. 

    Ao mesmo tempo, a assessoria de imprensa do movimento libanês Hezbollah, aliado das autoridades sírias, informou que as milícias pró-governamentais estão entrando em Afin. Segundo a Reuters, as forças estão entrando agora na região através do ponto de passagem de Al-Ziyara.

    Uma fonte na milícia síria, por sua vez, confirmou que os combatentes tinham entrado na cidade para "repelir a agressão turca".

    "Temos muita vontade de repelir a agressão turca e não permitir que eles ocupem nenhum pedaço do território sírio. As armas e militantes ao nosso dispor permitirão a defesa de nosso povo em Afrin", sublinhou a fonte.

    No entanto, nenhuma das partes — turca e síria, ainda não confirmaram oficialmente os relatórios.

    Na segunda-feira (19), um alto funcionário curdo disse que as forças curdo-sírias e o governo de Damasco tinham chegado ao acordo de enviar as tropas governamentais sírias para a região de Afrin com a finalidade de conter a operação turca. No entanto, a informação foi descartada pelo representante das YPG, Brusk Haseke, que a qualificou de falsa durante entrevista à Sputnik, afirmando que as forças governamentais sírias não entrariam em Afrin.

    Comentando sobre as informações, o vice-ministro das Relações Exteriores da Turquia, Bekir Bozdag, disse que se as forças armadas da Síria entrar em Afrin para apoiar a milícia curda, isso "abrirá caminho para uma catástrofe".

    Mais:

    Turquia pretende acabar com o terrorismo na Síria, diz embaixador
    Moscou: russos feridos na Síria não eram militares
    Mídia: Forças pró-Síria entrarão em Afrin em 'poucas horas'
    Tags:
    conflito regional, curdos sírios, Unidades de Proteção Popular (YPG), Afrin, Turquia, Síria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar