23:24 22 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África

    Israel está disposto a oferecer para Arábia Saudita dados da Inteligência sobre Irã

    Oriente Médio e África
    URL curta
    11118

    Segundo o chefe do Estado-Maior das Forças de Defesa israelense, Tel Aviv assegurou que pode oferecer informações da Inteligência sobre o Irã para a Arábia Saudita.

    Em declaração à edição saudita Elaph, o tenente-general Gadi Eisenkot descreveu o Irã como "a maior ameaça para a região" e sublinhou que Tel Aviv e Riad concordam com isso, informou o jornal israelense Haaretz.

    O chefe militar recordou que Israel e Arábia Saudita nunca se enfrentaram militarmente.

    Em particular, Eisenkot acusou Teerã de tentar desestabilizar a região através da construção de fábricas de armas e fornecimento de material bélico avançado a grupos terroristas no Oriente Médio.

    "O Irã procura controlar o Oriente Médio, criando uma meia-lua xiita do Líbano ao Irão e do Golfo Pérsico ao mar Vermelho”, indicou antes de proclamar: "Temos que impedi-lo."

    O chefe do Estado-Maior desmentiu que Israel estaria tentando atacar o movimento xiita libanês Hezbollah, apoiado pelo Irã. "Vemos os esforços do Irã para provocar uma escalada de tensão, mas no momento, não o consideramos possível", disse.

    O tenente-general ressaltou também que a situação atual quanto à segurança de Israel está melhor do que nunca, pois, de acordo com ele, "somos muito respeitados pelos países moderados da região".

    Trata-se da primeira entrevista concedida a um meio saudita pelo chefe do Estado-Maior israelense. Os dois países não mantêm relações diplomáticas. 

    Mais:

    Rússia e Arábia Saudita concordam em enviar sinais positivos ao mercado de petróleo
    Presidente do Líbano pede explicações à Arábia Saudita sobre suposta detenção de ex-premiê
    Coalizão liderada pela Arábia Saudita ataca Ministério da Defesa do Iêmen
    Tags:
    dados, inteligência, ameaça, Irã, Arábia Saudita, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar