22:27 22 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Palestinos fogem após polícia de Israel ter usado gás lacrimogêneo para dispersar multidão de fiéis durante manifestação de 21 de juhlo de 2017

    Tensão em Jerusalém: emissário de Trump tentará acalmar situação

    © REUTERS / Ammar Awad
    Oriente Médio e África
    URL curta
    Conflito em Jerusalém (15)
    1212

    O emissário especial do presidente norte-americano Donald Trump deve chegar nesta segunda-feira (24) a Israel para aliviar as tensões provocadas por novas medidas da segurança no local sagrado de Jerusalém altamente sensível depois de um fim de semana de violência mortal.

    A visita de Jason Greenblatt se está realizando depois de mais de uma semana de tensões no complexo da mesquita de Haram al-Sharif, conhecida para os judeus como o Monte do Templo, sendo uma questão central no conflito israelo-palestino.

    As autoridades de Israel haviam instalado detectores de metal na entrada no local, que inclui a mesquita Al-Aqsa e a Cúpula da Rocha, como resposta aos ataques de 14 de julho quando dois policiais foram mortos.

    Os palestinos consideram esse passo como Israel criando um maior controle sobre o local. Em protesto, eles recusaram entrar no complexo e rezam nas ruas fora dele.

    As autoridades israelenses afirmam que os detectores de metal são necessários, porque no dia 14 de julho os atacantes introduziram armas no local e saíram dele para atirarem contra os agentes policiais.

    Durante os protestos contra as medidas, eclodiram confrontos deixando cinco palestinos mortos.

    Na sexta-feira passada (21), um palestino invadiu uma casa em um assentamento judeu na área da Cisjordânia ocupada e esfaqueou três israelenses até a morte.

    Ahmed Abul Gheit, o chefe da Liga Árabe, acusou no domingo (23) Israel de "brincar com o fogo" implementando as novas medidas de segurança, e o presidente turco Recep Tayyip Erdogan as chamou de insulto ao Mundo muçulmano.

    O Papa Francisco disse que estava seguindo os eventos com preocupação e apelou ao diálogo e moderação das partes.

    As principais orações muçulmanas semanais de sexta-feira, que tipicamente atraem milhares a Al-Aqsa, levaram a situação à ebulição.

    Tema:
    Conflito em Jerusalém (15)

    Mais:

    Mais de 30 pessoas feridas após protesto no Monte do Templo
    Correspondente da RT foi atingida por soldado israelense durante confrontos em Jerusalém
    Tags:
    tensão, Monte do Templo, Liga Árabe, Jerusalem, Palestina, Oriente Médio, Israel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar