11:36 11 Dezembro 2019
Ouvir Rádio
    Presidente russo Vladimir Putin em encontro com o presidente da Palestina, Mahmoud Abbas, em 9 de maio de 2015.

    Palestina pede intervenção de Putin para impedir embaixada dos EUA em Jerusalém

    Host Photo Agency
    Oriente Médio e África
    URL curta
    201617
    Nos siga no

    O líder palestino Mahmoud Abbas escreveu uma carta ao presidente russo, Vladimir Putin, pedindo-lhe que convencesse os EUA a desistir da ideia de transferir a embaixada norte-americana em Tel Aviv para Jerusalém, segundo disse à Sputnik nesta quinta-feira (12) o chefe da Organização para a Libertação da Palestina (OLP).

    O secretário-geral da OLP, Saeb Erekat, em visita à Rússia de 12 a 14 de janeiro, disse à Sputnik International que vai entregar a carta ao ministro russo das Relações Exteriores, Sergei Lavrov, que, por sua vez, repassará a missiva ao presidente.

    "Eu também tenho uma mensagem escrita do presidente Mahmoud Abbas ao presidente Vladimir Putin, que entregarei amanhã [sexta-feira] ao Sr. Lavrov. [A mensagem] pede a intervenção do presidente Putin e do ministro das Relações Exteriores, Sergei Lavrov, para sentar com a administração norte-americana a fim de impedir que a embaixada norte-americana seja transferida para Jerusalém, já que há consequências para este passo", disse Erekat.

    A reunião de sexta-feira com Lavrov é "parte da coordenação e consulta em curso entre a Palestina e a Rússia", sublinhou o secretário-geral da OLP.

    Israel considera toda a cidade de Jerusalém como sua capital, posição que não é reconhecida pela comunidade internacional. Os palestinos, por sua vez, querem Jerusalém Oriental como a capital de um Estado independente que eles procuram legitimar na Cisjordânia e na Faixa de Gaza.

    As administrações anteriores da Casa Branca nunca favoreceram o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel, mas o resultado das últimas eleições norte-americanas estimulou as especulações de que as coisas podem mudar dramaticamente a partir deste ano.

    No meio de sua campanha eleitoral em setembro passado, o agora presidente eleito dos EUA, Donald Trump, disse que Jerusalém tem sido "a eterna capital do povo judeu por mais de 3.000 anos", prometendo aceitá-la "como a capital indivisa do Estado de Israel" se fosse eleito.

    Logo após o discurso de vitória do candidato republicano, David Friedman, seu assessor de assuntos relacionados a Israel, disse ao Jerusalem Post que "há toda a intenção" de manter a promessa da campanha e transferir a embaixada dos EUA para a cidade.

    Em novembro, o enviado da Palestina para a ONU, Riyad Mansour, prometeu tornar a vida "miserável" para a Casa Branca se Trump transferisse a embaixada para a cidade, considerada sagrada por cristãos, muçulmanos e judeus, e afirmou que a medida representaria um flagrante desafio aos direitos da Palestina sobre a Jerusalém ocupada. 

    Mais:

    Putin: Rússia apoiará esforços da Palestina no Oriente Médio
    Rússia e Palestina: Indo para frente
    Rússia busca intermediar negociação histórica entre Israel e Palestina
    Tags:
    ocupação, embaixada, transferência, capital, Donald Trump, Vladimir Putin, Mahmoud Abbas, Sergei Lavrov, Jerusalém, EUA, Israel, Palestina, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar