15:58 12 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Cidade síria de Deir ez-Zor (arquivo)

    Militares russos recordam aos EUA a 'honra de oficiais' após palavras de Kirby

    © flickr.com/ Jose Javier Martin Espartosa
    Oriente Médio e África
    URL curta
    38321

    Após declarações polêmicas, o Ministério da Defesa da Rússia fez lembrar ao Departamento de Estado dos EUA o sentido da honra.

    O ministério se referia às as palavras de John Kirby tornadas públicas esta quinta-feira (29). O representante do Departamento de Estado fez alusão à possibilidade de atentados no território russo caso os combates na Síria continuem.

    Em particular, o alto funcionário americano destacou que os terroristas vão atacar cidades e interesses russos e que a Rússia continuará “enviando militares para casa em sacos para cadáveres”.

    O general-major e representante oficial do Ministério da Defesa russo Igor Konashenkov disse, em resposta:

    "Neste diálogo devem ser excluídas alusões a ameaças aos nossos militares e cidadãos russos. As questões da garantia da segurança dos cidadãos da Rússia, estejam eles onde estiverem, não podem ser objeto de troca. É a nossa prioridade principal e incondicional". 

    Konashenkov exortou John Kirby, contra-almirante do Pentágono "que acabou de trocar a farda por um casaco de representante oficial do Departamento de Estado", a não se esquecer da honra de oficial.

    De acordo com Konashenkov, o lado russo "sabe muito bem onde se encontram na Síria, inclusive na província de Aleppo, e quantos são os "especialistas" não declarados que realizam planejamento operacional e chefiam operações dos extremistas".

    Ao mesmo tempo, o representante do ministério sublinhou que Moscou está pronta para o diálogo com Washington sobre a elaboração de ações conjuntas de combate aos terroristas na Síria.

    Mais:

    MRE russo: ameaças de atentados por parte dos EUA são indicador de baixeza política
    Tags:
    declaração, diplomacia, Síria, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik