05:42 14 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Militares sírios perto da base aérea de Deir ez-Zor

    Comando Central dos EUA diz que ataque aéreo que matou 80 soldados sírios foi um acidente

    © AFP 2019 / GEORGE OURFALIAN
    Oriente Médio e África
    URL curta
    Ataque americano contra exército sírio (26)
    104233
    Nos siga no

    O Comando Central dos Estados Unidos divulgou um comunicado admitindo ter atingido posições do exército sírio perto de Deir ez-Zor, mas afirmando que não tinha a intenção de alvejar os militares sírios, em violação do acordo de cessar-fogo. O alvo da coalizão seriam os terroristas do Daesh.

    As autoridades militares dos EUA reconheceram a responsabilidade pelo bombardeio contra posições do Exército sírio neste sábado (17) — ataque que matou 80 soldados e abriu caminho para uma grande ofensiva do Daesh contra as forças do governo Assad —, mas alegaram que o alvo pretendido eram os jihadistas.

    ​O ataque foi realizado por dois caças F-16 e dois aviões de ataque A-10 que entraram no espaço aéreo sírio através da fronteira com o Iraque, sem a autorização do governo do presidente Bashar Assad.

    O Ministério da Defesa russo imediatamente criticou os EUA pelo ataque letal, observando que o Daesh aproveitou a situação para se engajar em uma grande ofensiva contra as posições bombardeadas do regime de Assad.

    "Se este ataque aéreo foi realizado devido a um erro nas coordenadas do alvo, trata-se de uma consequência direta da relutância da parte dos EUA em coordenar suas ações contra grupos terroristas com a Rússia", disse o porta-voz do Ministério da Defesa russo, major-general Igor Konashenkov.

    O ataque ocorreu em meio a um cessar-fogo na Síria acordado há uma semana entre o chanceler russo, Sergei Lavrov, e o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, e que entrou em vigor em 12 de setembro.

    O ataque de hoje ameaça minar o delicado regime de cessar-fogo, com o governo sírio questionando se o  acordo não fornecerá aos terroristas do Daesh a oportunidade de se reagruparem, bem como se os rebeldes vão seguir o arranjo.

    No entanto, o ataque também destaca a importância do acordo de cessar-fogo e a necessidade de os Estados Unidos e a Rússia coordenarem seus eforços de inteligência.

    No comunicado, o Comando Central diz que "as forças da coalizão acreditavam que estavam atacando uma posição de combatem do Daesh que elas vinham rastreando por uma quantidade significativa de tempo antes do ataque. O ataque aéreo da coalizão foi interrompido imediatamente quando as forças da coalizão foram informadas por oficiais russos de que era possível que o pessoal e os veículos alvejados eram parte do exército sírio".

    A declaração segue sugerindo que a Rússia seria de alguma forma culpada pelo incidente que matou os 80 soldados sírios porque os EUA teriam “informado anteriormente as contrapartes russas sobre o ataque iminente".

    O Ministério das Relações Exteriores da Rússia negou que os EUA tivessem alertado Moscou sobre a operação perto de Deir ez-Zor.

    Tema:
    Ataque americano contra exército sírio (26)

    Mais:

    EUA: Ataque em Deir ez-Zor tinha como alvo rotas de abastecimento do Daesh
    Coalizão liderada pelos EUA se recusa a comentar ataque aéreo contra tropas da Síria
    Moscou: Ataque contra tropas sírias pode ter resultado da relutância dos EUA em cooperar
    Aeronaves da coalizão internacional, liderada por EUA, atacaram tropas sírias
    Tags:
    tropas sírias, exército sírio, coalizão, cessar-fogo, ataque, Comando Central dos EUA, Deir ez-Zor, Síria, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar